Campo Grande/MS, Sexta-Feira, 22 de Fevereiro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Quinta-Feira, 07 de Fevereiro de 2019, 10h:32
Tamanho do texto A - A+

Mapa autoriza redução da dose da vacina contra aftosa

MS já registra 12 anos sem a ocorrência da doença; Tendência é suspensão gradativa da vacinação;

Caroline Carvalho
Capital News

Divulgação/Governo Federal

Mapa autoriza redução da dose da vacina contra aftosa

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) anunciou, essa semana, a diminuição da dose da vacina contra febre aftosa de 5 mililitros para 2 mililitros. Segundo o Ministério, um dos principais objetivos na mudança da vacina será a injeção de menor volume de óleo mineral, com consequente redução de reações locais. 

 

Devido à não ocorrência de focos da doença no país, desde 2005, e a tendência de suspensão gradativa da vacinação, a área técnica do Mapa concluiu não haver necessidade da utilização de vacinas que induzam a resposta rápida, mas que assegurem a manutenção de resposta longa. Mato Grosso do Sul já registra 12 anos sem a ocorrência da doença. 

 

A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) alerta que a mudança não afeta a obrigatoriedade de vacinar todo o rebanho bovino e bubalino. A vacina já estará disponível em maio, período em que os animais de todas as idades devem ser vacinados em Mato Grosso do Sul. A exceção fica para os optantes pela etapa de novembro, na região do Pantanal. 

 

Retirada da vacina 

Em 2018, o Brasil foi reconhecido pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) como país livre de febre aftosa com vacinação. A próxima etapa é obter o status livres da doença sem a vacina. 

 

Em abril do ano passado, o Sistema Famasul foi sede do evento Dia A: Plena Erradicação da Febre Aftosa no Brasil. Com isso, foi dado início ao plano de erradicação no Estado. “A meta é chegar ao status de livre de aftosa sem vacinação até 2023. O desafio é realizar a transição de forma segura e sustentável”, afirma o diretor-tesoureiro da Federação, Marcelo Bertoni.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix