Campo Grande/MS, Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017 | 19:51
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Terça-Feira, 05 de Setembro de 2017, 11h:47
Tamanho do texto A - A+

MS registra média mensal de três novos focos de raiva em 2017, indica Iagro

Este ano, 50 animais morreram no Estado em decorrência da doença; número de focos em 2016, foi de apenas oito

Flávio Brito
Capital News

MS registra média mensal de três novos focos de raiva em 2017, indica Iagro

Animal morto com sintomas de rava em Amambai

Aumento no número de focos e redução da quantidade de animais vacinados contra raiva. Este é o cenário revelado pelo balanço divulgado pela Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) nesta terça-feira (05). Os dados mostram que até julho deste ano, foram identificados 24 focos de raiva no Estado. Enquanto que, durante todo o ano passado, foram apenas oito. Em 2017, a média é de pouco mais de 3 focos detectados por mês . Até agosto, foram relatadas as morte de aproximadamente 50 animais com sinais clínicos, e os técnicos não descartam o surgimento de novos casos, até que os animais estejam protegidos pela vacina.

Diante dos últimos casos de raiva em Mato Grosso do Sul, três equipes, que trabalham com o controle da doença realizaram nos últimos sessenta dias, atividades voltadas à prevenção e controle de ocorrência da enfermidade. Segundo balanço apresentado pelo Fiscal Estadual Agropecuário, da Coordenação Estadual dos Programas, Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros (PNCRH) e de Prevenção e Vigilância da Encefalopatia Espongiforme Bovina (PNEEB), Fabio Shiroma de Araujo, desde 2014, a agência havia registrado uma redução nos focos.  Foram 21 registros em 2014, depois despencou para nove no ano seguinte. Em 2016, uma nova queda no número de focos de raiva, chegando a oito e, agora, já são 24.

Outra preocupação é a queda no número de animais contra a raiva. O tamanho do rebanho imunizado – incluindo bovinos e equinos – vem caindo desde 2015. Foram mais de 8,7 milhões vacinados no ano retrasado, depois caiu para 7,5 milhões de 2016. Em 2017, o rebanho vacinado soma mais de 5,3 milhões.

A raiva é uma enfermidade que acomete o Sistema Nervoso Central (SNC) dos mamíferos, inclusive o homem, e a letalidade é próxima a 100%. No caso do produtor rural, ter conhecimento de animais com sintomatologia nervosa e/ou presença de possíveis abrigos na região, a Iagro recomenda não manusear o animal e comunicar a unidade a Iagro mais próxima. Se alguém entrar em contato com animal com suspeita de raiva ou agredido por cães, gatos ou morcegos, procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência.

Segundo Shiroma, este ano, membros da coordenação e da equipe de Nova Alvorada do Sul realizaram ações preventivas no município, e em Rio Brilhante, às margens do rio Vacaria e seus afluentes, com vigilância em 21 propriedades rurais, com sete abrigos vistoriados, tendo sido capturados e controlados 86 morcegos hematófagos.

Já a equipe da unidade Regional de Naviraí realizou ações preventivas nos municípios de Caarapó, Juti, Naviraí, Mundo Novo e Iguatemi, com vigilância em 22 propriedades rurais ,34 abrigos vistoriados e captura e controle de 225 morcegos hematófagos.

As equipes da regional de Três Lagoas e da regional de Nova Andradina realizaram ações no município de Taquarussu, com vigilância em 34 propriedades rurais e 23 abrigos vistoriados. O resultado desse trabalho foi a captura e controle de 124 morcegos hematófagos.

E as equipes da regional de Amambai e de Nova Alvorada do Sul estiveram em Amambai e Aral Moreira, com vigilância em 98 propriedades rurais com 21 abrigos vistoriados, tendo capturados e controlados 103 morcegos hematófagos. Em especial nesta região, um alerta já foi feito aos responsáveis de propriedades rurais próximas ao rio Amambai e seus afluentes, através dos sindicatos rurais, pois dos 24 casos registrados 11 foram em Aral Moreira, três em Amambai e dois em Coronel Sapucaia.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix