Campo Grande/MS, Domingo, 20 de Maio de 2018 | 13:46
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 18h:12
Tamanho do texto A - A+

Soja tem crescimento de 85% nas vendas externas de MS

Bons resultados no setor agrícola vêm atraindo olhares de investidores da China

Esthéfanie Vila Maior
Capital News

Chico Ribeiro / Governo de MS

Soja tem crescimento de 85% nas vendas externas de MS

Serão colhidas 8,7 milhões de toneladas de soja na safra 2017/18

De acordo com as projeções, Mato Grosso do Sul deve registrar recorde na produção de soja. A expectativa é de que cerca de 8,7 milhões de toneladas da oleaginosa na safra 2017/18 sejam colhidas. 

 

Segundo dados do Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (Siga), o aumento se deve, entre outros fatores, à aplicação de recursos em pesquisas e em tecnologia, que contribuem para a expansão da produção e aumento da produtividade da agricultura. A área plantada de soja aumentou de 2,5 milhões de hectares para 2,6 milhões/ha. 

 

O governador Reinaldo Azambuja explica que foram realizados inúmeros investimentos no segmento produtivo, em parceria com as instituições de pesquisa. “Acreditamos que esse é o grande modelo para, cada vez mais, avançarmos na produção. Mato Grosso do Sul é hoje o quinto maior produtor de grãos do País e o terceiro maior em número de abates de animais; é ainda o que tem a carne com melhor qualidade do país. Isso tudo é fruto do trabalho desenvolvido em conjunto”, afirma.

 

Exportações

Dados da balança comercial divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio mostram que, em janeiro deste ano, as exportações de soja subiram 85,6% em relação ao mesmo período do ano passado. 

 

As vendas externas somaram 124,1 mil toneladas, representando 12,7% do total comercializado pelo estado no início deste ano. No mesmo período de 2017, os embarques foram de 65,1 mil toneladas. As vendas de soja no mercado externo renderam a Mato Grosso do Sul divisas de US$ 48 milhões.

 

Tecnologia

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, reforça o uso das tecnologias para a promoção do agronegócio. “Em termos de resultado para economia, a safra recorde mostra que o produtor rural novamente fez uma safra com elevada tecnologia. Nós tivemos aplicação de novas variedades (soja) em Mato Grosso do Sul, desenvolvidas com pesquisa e apoio do Estado”, diz.

 

Presidente da Fundação MS, Luciano Muzzi, destaca que para cada R$ 1,00 investido em tecnologia na área do agronegócio, R$ 10,00 são retornados à sociedade. “Isso é o que mostrou um estudo encomendado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Então, a participação do Governo em pesquisas é fundamental, pois o aumento da produção e da produtividade aumentam a geração de emprego, de renda e de consumo”, afirma.

 

Safra recorde

O crescimento estimado da safra de soja é de 2,5% quando comparada a 2017 (8,5 milhões de toneladas) e de 3,5% se equiparada a 2016 (8,4 milhões de toneladas). Até o momento, pouco mais de 2% da área de 2,6 milhões de hectares da oleaginosa foram colhidos em Mato Grosso do Sul. No Estado, os maiores produtores de soja são os municípios de Maracaju, Ponta Porã e Sidrolândia.

 

O presidente da Associação dos Produtores de Soja do Estado (Aprosoja/MS), Juliano Schmaedecke, acrescenta que a safra recorde é também “resultado do excelente trabalho do produtor rural que tem investido em tecnologia e, assim, obtido produtividade satisfatória. Associado a isso, o clima ajudou, uma vez que tivemos o melhor índice pluviométrico dos últimos anos”, destaca.

 

Investidores

Os bons resultados no setor agrícola em Mato Grosso do Sul vêm atraindo olhares de investidores. Em Maracaju, a empresa chinesa BBCA investe R$ 1,21 bilhão na construção de uma fábrica de processamento de soja e milho. Financiada com recursos Banco de Desenvolvimento da China (China Development Bank – CDB), a indústria esmagadora de grãos deve entrar em operação em 2019.

 

Com perspectiva de geração de 400 empregos diretos após o funcionamento, a BBCA terá capacidade de processar toda a produção local de milho, 1,25 milhão toneladas/ano, e de soja, 1 milhão de toneladas/ano. O projeto prevê ainda o beneficiamento de produtos derivados desses grãos.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix