Campo Grande/MS, Terça-Feira, 24 de Outubro de 2017 | 02:37
27˚
(67) 3042-4141
Saúde
Quarta-Feira, 09 de Agosto de 2017, 17h:16
Tamanho do texto A - A+

Secretaria divulga vacinação contra o HPV e meningocócica C nos alunos das escolas públicas da Capital

Faixa etária é de 9 a 15 anos para meninas e de 11 a 15 para meninos

Flavia Andrade
Capital News

Divulgação/Assessoria

Secretaria divulga vacinação contra o HPV e meningocócica C nos alunos das escolas públicas da Capital

Faixa etária é de 9 a 15 anos para meninas e de 11 a 15 para meninos

O Serviço de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) está intensificando neste mês de agosto a vacinação contra o HPV e meningocócica C nos alunos das escolas púbicas municipais e estaduais da Capital. São 170 escolas na área de abrangência das 66 unidades básicas de saúde (UBS) e de saúde da família (UBSF).

A Sesau espera atingir os adolescentes que devem receber as doses. No caso da vacina do HPV, a faixa etária é de 9 a 15 anos para meninas e de 11 a 15 para meninos. Já para a meningocócica C, o reforço deve acontecer entre os 12 e 13 anos em ambos os sexos.

Para tomar a dose disponível aos adolescentes da rede pública, os jovens precisam apresentar o ‘Termo de Autorização da Vacina HPV Quadrilavalente’, que deve ser preenchido pelos pais ou responsáveis. O documento é entregue aos alunos nas escolas e precisa ser devolvido até o dia da vacinação na unidade escolar.  No ‘Termo’ consta algumas informações importantes, bem como a necessidade de apresentar a caderneta de vacinação, mas caso tenha perdido, será fornecida uma nova.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Mariah Barros, a “vacina do HPV é importante para prevenir diversas doenças relacionadas ao Papiloma Vírus humano, além de ter eficácia comprovada de 98% para quem segue corretamente o esquema vacinal”. A segunda dose deve ser administrada 6 meses após a primeira em qualquer UBS ou UBSF.

A vacina é ofertada desde 2014 pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é a quadrivalente, ofertada para as meninas. Confere proteção contra quatro subtipos do vírus HPV (6, 11, 16 e 18).

Já a disponível para os meninos, tem como objetivo proteger contra os cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV. A definição da faixa etária para a vacinação busca proteger meninos e meninas antes do início da vida sexual e, portanto, antes do contato com o vírus. Os cânceres de garganta e de boca são o 6º tipo mais comum no mundo, com 400 mil casos ao ano e 230 mil mortes. Além disso, mais de 90% dos casos de câncer anal e orofaringe são atribuíveis à infecção pelo HPV.

Nas meninas, o principal foco da vacinação é proteger contra o câncer de colo do útero, vulva, vaginal e anal; lesões pré-cancerosas; verrugas genitais e infecções causadas pelo vírus. O HPV é transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Podendo ser transmitido da mãe para filho no momento do parto.

Meningocócica C


A vacina previne doenças provocadas pela bactéria Neisseria meningitidis do sorogrupo C, esta bactéria pode ser a causa de infecções graves, às vezes, até fatais, como a meningite e a sepse. A vacinação é considerada a forma mais eficaz na prevenção desses problemas.

A sepse ocorre quando a corrente sanguínea está carregada de bactérias. Elas são oriundas de alguma infecção, que pode ter início em qualquer parte do corpo. Os lugares comuns incluem: o intestino, rins, meninges, fígado, vesícula biliar, pulmões ou a pele. Na sepse, a pressão arterial cai, provocando choque. Os principais órgãos, incluindo rins, fígado, pulmões e o sistema nervoso central, deixam de funcionar corretamente. Uma alteração no estado mental e a hiperventilação podem ser os primeiros sinais de sepse.

A meningite consiste na inflamação das meninges, membranas que envolvem nosso cérebro. O tipo causado por essa bactéria normalmente leva à morte 30% das crianças que adquirem a doença. As crianças de 6 meses a um ano são as mais vulneráveis porque geralmente ainda não desenvolveram anticorpos para combatê-la.   

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix