Campo Grande/MS, Terça-Feira, 18 de Dezembro de 2018 |
27˚
(67) 3042-4141
Saúde
Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018, 08h:33
Tamanho do texto A - A+

Três Lagoas lidera ranking de casos de dengue no ano

Já foram confirmados 200 casos da doença neste ano na cidade

Gian Nascimento
Capital News

 

Divulgação

Três Lagoas lidera ranking de casos de dengue no ano

Para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti, alguns bairros começaram a receber o carro fumacê, nesta semana.

A cidade de Três Lagoas registrou somente neste ano, 944 casos suspeitos de dengue, de acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde. O levantamento é entre o mês de janeiro e 15 de setembro. Desse total, 200 pessoas receberam o diagnóstico positivo da doença, o que corresponde, em média, 23 casos confirmados por mês no município. 

 

O cenário alarmante faz com que a cidade lidere a lista "vermelha" da Saúde, em 1º lugar do ranking de alta incidência de dengue, em Mato Grosso do Sul. Conforme o site JP News, a posição se dá ao registrar mais de 300 casos por 100 mil habitantes. Três Lagoas apresenta atualmente 861 casos por 100 mil habitantes. 

 

Para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti, alguns bairros começaram a receber o carro fumacê, nesta semana. Os primeiros da lista são os bairros Interlagos e Lapa que, segundo o setor municipal de Endemias e Controle de Vetores da Diretoria de Vigilância em Saúde, concentram mais casos confirmados da doença.

 

A ação iniciou no sábado (22) e seguirá até quinta-feira (27), no período da manhã, nos horários das 5h às 8h e no final da tarde e à noite, no horário das 18h às 22h. É usado equipamento pesado e acoplado sobre um veículo da Secretaria Municipal de Saúde para aplicação do veneno contra os mosquitos, por meio do sistema de borrifação do produto Malathon, misturado com água e não inflamável, pelo sistema de bomba Ultra Baixo Volume (UBV).

 

“Seguindo as Diretrizes do Ministério da Saúde para esta ação específica, a aplicação do fumacê será em quatro ciclos consecutivos, nos mesmos horários, para obtermos mais resultados na eliminação do mosquito Aedes aegypti”, explicou o coordenador de Endemias e Controle de Vetores, Alcides Divino Ferreira.

 

 

Ele destaca que usa o fumacê como último recurso de reduzir a população de mosquitos alados, pois o produto não mata as larvas, fica no ar por pouco mais de uma hora e meia, e mata apenas os mosquitos que estão na área de alcance do inseticida.

 

ORIENTAÇÃO

A secretaria alerta que o produto não oferece perigo à saúde, mas é necessário seguir orientações importantes para a obtenção de melhores resultados na eliminação dos mosquitos e também para evitar algum dano.

 

É importante cobrir todos os alimentos, não deixá-los expostos, pelo menos durante a borrifação até uma hora e meia depois. Cobrir também gaiolas de passarinhos de estimação e aquários de peixes ornamentais.

 

No entanto, se a pessoa apresentar qualquer tipo de reação alérgica ao produto deve procurar imediatamente a Unidade Básica de Saúde mais próxima da residência.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix