Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 11 de Dezembro de 2017 | 19:54
27˚
(67) 3042-4141
Tecnologia
Segunda-Feira, 15 de Maio de 2017, 16h:37
Tamanho do texto A - A+

Projeto de lei pode mudar o corte de internet móvel quando os dados acabarem

O objetivo do Projeto é que os dados que não forem utilizados em um mês possam ser reaproveitados depois

Cristiano Arruda
Capital News

Deurico/Capital News

Foto ilustrativa de telefonia, telefonia móvel, celular, internet movel, g3, g4, tecnologia, navegação mobile

A prática de corte a internet quando o pacote de dados do consumidor acaba começou a ser adotada pelas operadoras de telefonia em 2014.

Quem costuma navegar pela internet via smartphone e tablets já deve ter se deparado com a situação de o pacote de dados acabarem antes do previsto e o acesso à rede ser cortado pela operadora, ou quando a franquia não é totalmente usada e consumidor acaba perdendo o que restou. O fato é que esse saldo não retorna para o consumidor.

Segundo o site Agência Brasil, essa realidade não está longe de mudar, um projeto de lei que tramita no Senado pretende mudar essa situação. O objetivo do Projeto de Lei do Senado (PLS) 110/2017 é permitir que os dados que não forem utilizados em um mês possam ser reaproveitados no mês seguinte ou quando o cliente desejar, já que o mesmo pagou por isso.

“Se você economiza e não utiliza todo o pacote contratado, as operadoras não permitem utilizar esse saldo que sobra no mês seguinte. Acho que isso não é justo, não é certo. Por isso que apresentei esse projeto de lei para que o consumidor possa usar o saldo que ele contratou e pagou quando desejar”, explica o autor da proposta, senador Dário Berger (PMDB-SC).

O senador diz que considera viável tecnicamente a implantação dessa mudança pelas operadoras de telefonia. O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) disse que não vai comentar projeto de lei ainda em tramitação.

No portal e-Cidadania do Senado, que possibilita a participação do cidadão nas atividades parlamentares, mais de 1,9 mil pessoas já se manifestaram favoráveis ao projeto e 22 contrárias. A proposta tramita em caráter terminativo na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado e, se aprovada, segue para análise na Câmara dos Deputados.

A prática de corte a internet quando o pacote de dados do consumidor acaba começou a ser adotada pelas operadoras de telefonia em 2014. Na época, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou que as regras do setor permitem às empresas adotar várias modalidades de franquias e de cobranças, inclusive o bloqueio do acesso à internet que é muito comum hoje.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix