Campo Grande/MS, Sábado, 11 de Julho de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Domingo, 14 de Junho de 2020, 10h:49
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Alunos de medicina e enfermagem são voluntários no combate ao coronavírus

Por Pérola Cattini

Da coluna Bem-Estar
Artigo de responsabilidade do autor

Universidades federais e privadas organizam ações para ajudar no atendimento dos casos

Divulgação

ColunaMarcoEusébio

Desde que o aumento no número de casos do novo coronavírus foi registrado, as universidades, como a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), autorizaram seus alunos de medicina e enfermagem atuantes em estágios curriculares a prestar trabalhos voluntários no combate à doença.


Com a liberação, 200 alunos dos semestres mais avançados da faculdade de Enfermagem e Medicina da Unicamp se inscreveram para ajudar. De início, a ação foi criar um canal de atendimento e suporte às pessoas que tinham dúvidas quanto aos sintomas.


Entretanto, a professora Joana Fróes, coordenadora do curso de Medicina, explica que isso não se trata de uma consulta, mas, sim, de uma orientação. "Eles (os alunos) estão sendo capacitados, com um reforço nas aulas de infectologia, e terão profissionais de saúde supervisionando, para resolver qualquer dúvida que não esteja nos protocolos da OMS (Organização Mundial de Saúde) ou do Ministério da Saúde", explica.


Para que o projeto pudesse funcionar, os estudantes dos cursos de tecnologia e computação montaram um software capaz de redirecionar as ligações feitas ao atendimento para os números dos alunos participantes. "Foi muito comovente a gente ver a disponibilidade e a empatia desses alunos. Muitos vieram me procurar e dizer 'professora, eu estou com tempo livre, tenho como me voluntariar’”, conta Fróes. "Eles pediam qualquer trabalho que pudesse ajudar", completa ela.


Em relação à UFRN, os cursos selecionados para o trabalho voluntário foram: Medicina, Enfermagem, Farmácia e Fisioterapia. Deste modo, os alunos poderão atuar em unidades básicas de saúde, de pronto atendimento, rede hospitalar e comunidades do estado.


De acordo com a universidade, os estudantes dos dois últimos anos de Medicina e do último ano dos cursos de Enfermagem, Fisioterapia e Farmácia podem participar, desde que estejam regularmente matriculados em componente curricular do tipo Estágio no semestre 2020.1. Mesmo assim, os alunos só atuarão caso o colegiado do curso e a unidade de saúde autorizem.


A medida faz parte da Portaria nº 356, do Ministério da Educação (MEC), que regula a atuação dos universitários da área de saúde no combate ao coronavírus, e da Portaria nº 492, do Ministério da Saúde (MS), que trata e operacionaliza a ação “O Brasil Conta Comigo”, projeto que permite aos alunos de períodos mais iniciais dos cursos participar voluntariamente.


Ainda que seja um trabalho voluntário, os alunos que atuarem junto ao MS “terão direito a uma bonificação, que inclui o recebimento de uma bolsa enquanto durar a medida, de acordo com a carga horária do estágio supervisionado – de 40h no valor de um salário mínimo (R$ 1.045) e de 20h no valor de meio salário mínimo (R$ 522,50)”, explica o site da ação.


Para se inscrever, os alunos devem entrar em contato com a coordenação de seus cursos para obter orientações detalhadas e esperar ser chamado pelos centros de atendimento.

 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix