Campo Grande/MS, Domingo, 19 de Setembro de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Domingo, 12 de Setembro de 2021, 11h:58
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Candidíase em homens: saiba como identificar a infecção

Por Pérola Cattini

Da coluna Bem-Estar
Artigo de responsabilidade do autor

Na maioria dos casos, problemas de saúde são fator primordial para que fungo se reproduza em excesso

iStock

ColunaBem-Estar

A candidíase, infecção provocada pelo fungo Candida albicans, é mais comum nas mulheres. No entanto, também pode acometer homens, especialmente nas genitais. Se não tratada, a candidíase masculina pode provocar sintomas dolorosos, vermelhidão e, às vezes, manchas brancas espalhadas no pênis.


Na maioria dos casos, o aparecimento da infecção está ligado a alterações no sistema imunológico, que facilitam a proliferação exagerada dos fungos na região genital. É recorrente em pacientes com diabetes, AIDS, HPV e lúpus, doenças que tornam o sistema imune mais fraco., bem como em quem faz quimioterapia e outros tratamentos com imunossupressores ou corticoides.


Mas, além disso, alteração no pH, hiperglicemia, falta de higiene, aumento da temperatura e do suor também criam um ambiente propício para os microrganismos. “Calor e umidade favorecem o problema. Roupas apertadas, como cueca de microfibras, pioram a situação”, afirma Fernando Facio, diretor do Departamento de Sexualidade da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), à agência Einstein.


Sintomas mais comuns da candidíase masculina
Apesar de os sintomas surgirem principalmente no pênis, eles também podem aparecer no saco escrotal ou na virilha. Os principais sintomas da candidíase no homem são os seguintes.
- Vermelhidão.
- Manchas brancas.
- Ardência.
- Coceira.
- Dor.
- Dificuldade para ter relação sexual.
- Inchaço.
- Fissuras e cortes.


Como tratar a candidíase?
O diagnóstico da candidíase genital masculina é confirmado pelo urologista, a partir da observação dos sinais e sintomas apresentados pelo homem. O tratamento inclui o uso de pomadas ou cremes à base de antifúngicos – geralmente, por uma a duas semanas. Quando os sintomas são mais graves, podem ser receitados medicamentos via oral.


Durante o tratamento, fazer uma alimentação pobre em açúcar também ajuda o organismo a combater mais facilmente o crescimento dos fungos e, consequentemente, cura a candidíase mais rapidamente.


Além de tudo isso, apesar de não ser considerada uma infecção sexualmente transmissível (IST), o problema acontece mais entre pessoas com uma vida sexual ativa. Por isso, é importante tratar o parceiro também para evitar a reinfecção. No caso das mulheres, o tratamento deve ser feito com o auxílio de um ginecologista.


Prevenção
Para prevenir a infecção, é importante usar preservativo, praticar uma boa higiene íntima e manter a região do pênis sempre seca, seja após o banho, urina ou relação sexual. Dormir sem roupa de baixo também é um hábito que dificulta a proliferação do fungo. Além disso, deve-se evitar usar roupas quentes, apertadas ou molhadas, que podem favorecer o crescimento fúngico.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix