Campo Grande/MS, Sexta-Feira, 06 de Dezembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Quinta-Feira, 10 de Outubro de 2019, 12h:23
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Musculação pode ajudar no combate à depressão

Por Pérola Cattini

Da coluna Bem-Estar
Artigo de responsabilidade do autor

Entenda os efeitos da musculação na saúde mental do ser humano

Divulgação

ColunaBem-Estar

Passado o Setembro Amarelo, o debate sobre saúde mental deve continuar em alta todos os meses do ano. Enquanto a depressão segue como uma das novas epidemias globais, especialistas buscam por soluções que ajudem na prevenção e no tratamento dessa doença que tem atingido pessoas de todas as idades e gêneros.

De acordo com um estudo publicado no periódico JAMA Psychiatry, a máxima de “mente sã e corpo são” também pode ser lida na ordem inversa. Apesar de pesquisadores já terem comprovado os benefícios das atividades físicas para a saúde mental do ser humano, este novo estudo se debruçou principalmente sobre as modalidades que também trazem como benefício a perda de peso e o enrijecimento muscular, como a musculação.

Mais sobre o estudo
A pesquisa foi feita por cientistas da Universidade de Limerick, na Irlanda, que queriam saber qual era a associação entre os treinamentos de resistência, como a clássica musculação, e os sintomas de um quadro depressivo. Para chegar ao resultado, eles reuniram dados de mais de 30 pesquisas clínicas, abrangendo cerca de 2 mil participantes.

A conclusão foi que as pessoas que se dedicam a atividades como a musculação podem ter uma redução de até 44% nos indícios da doença. Segundo a revista Time Health, esse resultado poderia ser equivalente aos efeitos de remédios antidepressivos e ao de terapias comportamentais.

Preparação
Especialistas apontam, entretanto, que esses treinos devem ser feitos de maneira adequada, preferivelmente com a assistência de um professor apropriado. Há riscos em realizar grande esforço, principalmente quando a postura não é correta, podendo lesionar músculos e afastar o atleta de suas principais atividades, levando a um isolamento forçado - o que resultaria em um efeito contrário para os sintomas depressivos.

A alimentação também deve andar lado a lado com as atividades físicas. Comidas com carboidratos simples, como é o caso de fast foods, por exemplo, podem causar um efeito de saciedade ao organismo, mas que passa muito rapidamente, causando efeitos nocivos ao corpo e à mente.

Para os atletas que mantêm uma rotina de exercícios mais extensa, a suplementação alimentar pode ajudar a prover todos os nutrientes necessários para uma vida mais saudável. O Whey Protein, por exemplo, ajuda na recuperação dos músculos e na hipertrofia, para as pessoas que desejam ter um corpo mais definido.

Além disso, tanto os exercícios quanto o uso da suplementação podem fazer com que as pessoas se sintam mais confiantes, enfrentando com maior facilidade as interações sociais e saindo de um possível isolamento. O isolamento social é um dos principais motivos que levam pessoas a ficarem deprimidas, podendo desenvolver para outras doenças, como ansiedade, síndrome do pânico ou até mesmo doenças cardíacas, com algo grau de mortalidade.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix