Campo Grande/MS, Sexta-Feira, 18 de Outubro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Domingo, 15 de Setembro de 2019, 12h:23
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Transtorno pós-parto: entenda o que é e conheça o tratamento

Por Pérola Cattini

Da coluna Bem-Estar
Artigo de responsabilidade do autor

Estresse pós-traumático também pode acontecer devido a traumas no parto

Divulgação

ColunaBem-Estar

Após um parto, seja ele natural ou cesárea, as mulheres precisam seguir uma lista de cuidados consigo mesmas e com o bebê. Esses cuidados já começam a construir a relação entre mãe e filho.

Uma alimentação balanceada, repouso, o uso da cinta pós-parto, entre outros cuidados, garantem que o período seja mais tranquilo para a mulher. No entanto, o transtorno pós-parto, uma espécie de Transtorno Pós-Traumático (TEPT) pode acontecer para algumas mães, principalmente se as condições do parto foram difíceis.


O que é o transtorno pós-parto
Essa categoria de TEPT só foi reconhecida em 1990, apesar de muitas mulheres (e alguns homens) já terem sofrido com ele ao longo da história. Por ser algo pouco conhecido, muitas vezes deixa de ser diagnosticado. A Organização Mundial da Saúde acredita que cerca de 4% dos partos levam a essas condições.

Ele acontece principalmente devido a complicações no parto, em que a vida da mãe ou da criança está em perigo, ou quando as mães sofrem alguma violência obstétrica, como abuso moral ou até mesmo machucados físicos.


Tratamento
Para garantir o bem-estar da mãe e do bebê que sofreram com esse problema, poderá ser necessário trabalhar com uma frente multidisciplinar de especialistas, como psiquiatras, psicólogos e outros profissionais. Tudo dependerá do grau do transtorno e dos sintomas.

Um procedimento bastante indicado para esses casos é a Dessensibilização e Reprocessamento por Meio dos Movimentos Oculares (EMDR, na sigla em inglês). Ou seja, usando estratégias como o toque ou o uso de músicas, as mães com TEPT poderão se afastar da situação traumática, conseguindo avaliar que não estão em perigo no presente.

Há também formas de prevenção, seguindo o pré-natal e políticas públicas que garantam a segurança às mães e aos seus bebês durante o parto.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix