Campo Grande/MS, Sábado, 30 de Maio de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Domingo, 22 de Março de 2020, 11h:13
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Paraguaios cavam até valas para impedir entrada de brasileiros por cidades de MS

Por Marco Eusébio

Da coluna Entrelinhas da Notícia
Artigo de responsabilidade do autor

Fotos cedidas por Hélio Acosta e Antônio Carlos da Rocha ao site A Gazeta News/Reprodução

ColunaMarcoEusébio

Valas, barreiras de pneus e tropas do exército formam barreiras em cidades paraguaias na fronteira com MS

No vizinho Paraguai onde o governo decretou toque de recolher e ninguém pode sair às ruas a partir das 20h para evitar espalhar o coronavírus, autoridades estão tomando medidas radicais para impedir a entrada de brasileiros pela fronteira de Mato Grosso do Sul. Em Ypejhú, cidade vizinha a Paranhos (MS), grandes valetas foram abertas para impedir o trânsito de motos e dificultar o acesso de pedestres, informa A Gazeta News, de Amambai, outra cidade sul-mato-grossense na fronteira. O site diz que acessos também foram fechados ao trânsito na fronteira em Salto Del Guairá (região de Mundo Novo), Pedro Juan Caballero (vizinha a Ponta Porã), Bella Vista Norte (vizinha a Bela Vista) e Capitan Bado (vizinha a Coronel Sapucia - MS), inclusive com bloqueios de pneus e tropas do exército paraguaio impedindo o tráfego.

 

• • • • •

 

Argentina entra em quarentena total com união de adversários políticos

Fotos Twitter Reprodução

ColunaMarcoEusébio

Jornais estamparam a mesma manchete na quinta e na sexta começou a vigorar a quarentena em toda a Argentina

A Argentina está em quarentena total em que os cidadãos devem ficar em casa, sob pena de prisões e multas, e só podem sair se for por necessidade de comprar alimentos ou medicamentos. A medida entrou em vigor ontem e vale até 31 de março. O país que ao decretar a medida registrava 128 casos de coronavírus, a grande maioria em Buenos Aires, e três óbitos pela Covid-19, é o primeiro da América do Sul a adotar a restrição radical. Segundo a imprensa, a decisão foi tomada pelo presidente Alberto Fernández após uma conversa telefônica com seu antecessor Maurício Macri e uma reunião com todos os governadores, já que muita gente ainda insistia em sair apesar das medidas e recomendações de restrição. Há décadas enfrentando crises econômicas, financeiras, sociais e políticas, a pandemia gerou um clima de união nacional. "As disputas entre peronistas, kirchneristas e macristas foram, salvo raras excessões, deixadas de lado", diz O Globo. A imprensa também se uniu contra a proliferação do vírus. Na quinta-feira, todos os jornais argentinos estamparam a mesma capa (foto) com a mensagem: "Paremos o vírus juntos. Vamos viralizar a responsabilidade".

 

 

LEIA A COLUNA DE HOJE CLICANDO AQUI EM MARCO EUSÉBIO IN BLOG

 

 



 


 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix