Campo Grande/MS, Terça-Feira, 02 de Março de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Sexta-Feira, 22 de Janeiro de 2021, 07h:29
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Simone diz que não é hora de falar em impeachment, mas de união contra covid

Por Marco Eusébio

Da coluna Entrelinhas da Notícia
Artigo de responsabilidade do autor

Roberto Castello, da Assessoria

ColunaMarcoEusébio

Simone defende 'passar uma borracha no que passou e começar 2021 pensando em salvar vidas'

Ao falar sobre sua candidatura à Presidência do Senado hoje em entrevistas à duas rádios de Campo Grande – Capital 95 FM e CBN – Simone Tebet (MDB-MS) voltou a pregar união do Executivo e Legislativo no combate à covid-19 e a outros problemas que afetam o Brasil. A senadora lamentou a ingerência do governo federal na eleição do Senado em defesa do candidato Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e citou dados da consultoria Inteligov apontando que ela votou mais com o atual governo do que o candidato do Planalto. Simone repetiu que ser candidata independente, não significa fazer oposição ao governo, mas ter liberdade de buscar os melhores rumos para o País. "A independência é para ajudar, não para prejudicar o governo. A independência é importante porque nos momentos de grandes decisões você pode dizer: por esse caminho não vai dar certo", declarou.

IMPEACHMENT E 2022 – Indagada sobre a abertura de um processo de impeachment do presidente Jair Bolsonaro, a senadora disse que isso depende da Câmara, mas não acredita que nenhum candidato à comandar aquela Casa paute esse asssunto agora. "Não acho saudável hoje para o Brasil falar em impeachment. Não é o momento, nós temos que estar unidos num esforço muito maior contra o inimigo mortal. Temos que gerenciar essa crise sanitária do coronavírus, ajudando o governo federal. Temos muitos problemas a serem resolvidos para nos preocuparmos com desunião", declarou. Para Simone, o momento é de "olhar pra frente, passar uma borracha no que passou, e começar o ano de 2021 pensando em salvar vidas". Sobre as eleições de 2022, a senadora preferiu não responder. "Precisamos primeiro sobreviver a 2021, depois pensamos em sucessão".

 

 



 


NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix