Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 26 de Agosto de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Quarta-Feira, 14 de Agosto de 2019, 12h:34
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Além do Netflix: três serviços de streaming disponíveis no Brasil

Por Gustavo Torniero

Da coluna Tecnologia
Artigo de responsabilidade do autor

Da Amazon ao Mubi, há várias formas de assistir filmes e séries

Divulgação

ColunaTecnologia

Amazon Prime Video
Repleta de séries e filmes de sucesso, como Smallville e American Gods, a plataforma da Amazon é também uma das mais baratas: pelo menos nos seis primeiros meses, o custo mensal é de R$ 7,90 -- depois, sobe para R$ 14,90. Há ainda algumas produções originais, como The Boys, The Marvelous Mrs. Maisel e Too Old to Die Young.

Recentemente, o catálogo do Amazon Prime Video ficou ainda mais rico: o Google e a Amazon entraram em um acordo para difundir seus conteúdos nas plataformas de cada empresa -- assim, é possível ver os filmes e as séries tanto em um smartphone como em uma TV 55 polegadas.

Carlos Cardoso, colunista da Meiobit, escreveu que o acordo foi, antes de tudo, uma estratégia de mercado. "As duas empresas, Google e Amazon, querem que você assine o serviço deles e nada mais, dar acesso à concorrência não é uma atitude encorajada. O efeito final é um monte de usuários insatisfeitos, hardware subutilizado e a locadora do Paulo Coelho recebendo mais e mais visitas, já que o bom e velho pirata funciona em qualquer lugar", disse.

Globoplay
Plataforma da Globo, ela é vantajosa para quem gosta das produções da emissora e dos seus canais pagos, como GNT, Multishow, Viva, Sportv e Gloob. Algumas novelas são disponibilizadas antes de irem ao ar na TV, como capítulos de A Dona do Pedaço, sem contar algumas obras que são exclusivas, como Shippados e Assédio.

O Globoplay também dá acesso a séries famosas, como House, Dexter e The Handmaid's Tale e, em comparação com o Netflix, também vale a pena pelo preço: custa R$ 19,90, sendo que o assinante tem sete dias de graça para testar a ferramenta.

Mubi
Plataforma de filmes cults, clássicos, independentes e premiados pelo mundo, ela funciona de forma diferente: todos os dias uma equipe de curadoria adiciona uma nova obra no catálogo ao mesmo tempo que outra sai de cartaz. No total, os filmes ficam disponíveis por 30 dias, de forma que, se uma pessoa assiste uma película por dia (os mais cinéfilos), consegue ter sempre um catálogo dinâmico à mão.

Dá para assistir os filmes do Mubi na TV, no celular e até offline, baixando as obras escolhidas por meio do aplicativo para smartphones. Além da curadoria, a plataforma costuma ter a facilidade de se adequar a datas ou acontecimentos: quando a cineasta francesa Agnès Varda morreu, em março deste ano, por exemplo, o Mubi ficou repleto de obras de sua carreira.

A desvantagem é o preço: a plataforma é cobrada em dólar (US$ 8,99) ao mês ou cerca de R$ 34 mensais, com a possibilidade de uma assinatura anual de US$ 5,99 mensais (aproximadamente R$ 23), totalizando US$ 71,88 (cerca de R$ 267) ao ano em apenas um pagamento. Alunos da Universidade de São Paulo que se registrarem com o e-mail da instituição têm assinatura gratuita.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix