Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 18 de Agosto de 2022 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Quinta-Feira, 04 de Agosto de 2022, 16h:58
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Falsos leilões: golpe se multiplica na web com promessa de carros baratos

Por Alice Bachiega

Da coluna Tecnologia
Artigo de responsabilidade do autor

Quadrilhas especializadas ludibriam consumidores com ofertas mirabolantes em sites falsos que imitam um leilão oficial

iStock

ColunaTecnologia

Os golpes na internet têm se tornado cada vez mais corriqueiros. O aumento no número de compras pela web, principalmente por conta da pandemia, mudou a cultura de consumo, e com isso, tornou-se prato cheio para que ofertas falsas fossem disseminadas. Uma dessas novas práticas ilegais é o leilão falso de carros.

Quadrilhas de estelionatários especializaram-se nesse tipo de golpe. Em 3 anos, as autoridades já identificaram mais de 2 mil sites que usavam nomes de empresas idôneas, como seguradores e leiloeiras, além de instituições como departamentos de trânsito estaduais e municipais e bancos públicos, para ludibriar compradores, segundo levantamento da Associação de Leiloeiros Oficiais do Estado de São Paulo.

O golpe consiste na criação de sites falsos que imitam o layout dos sites originais. Então, os criminosos inserem dados de veículos, por exemplo, como fotos e informações gerais. Os preços costumam ser mais baixos do que os encontrados no mercado, o que chama a atenção de compradores.

Através de um mecanismo de lances, compradores arrematam o bem ofertado. Para garantir o sucesso do golpe, os próprios criminosos também dão lances, se passando por outros interessados até que a vítima dê o lance final.  Após o pagamento, o comprador recebe o endereço para retirar sua compra. Chegando lá, nada encontra, e se dá conta do golpe.

As quadrilhas são ousadas. Montam esquemas de dimensões empresariais, com departamentos responsáveis por atender as potenciais vítimas em salas alugadas em conjuntos comerciais de luxo, segundo o que foi apurado nas investigações da delegada Leslie Caram Petrus, da 4ª Divisão de Investigações sobre Furtos, Roubos e Receptações de Veículos e Cargas, a Divecar de São Paulo. Também costumam hospedar seus sites fora do Brasil, o que dificulta sua derrubada.

A Receita Federal constatou até mesmo páginas que simulavam seu sistema de leilão oficial. O site oficial foi copiado, o que obrigou a instituição a emitir alertas de que leilões são proibidos de serem realizados em sites privados, mas somente via site oficial da Receita Federal, além de não poderem prescindir de certificação digital. Além disso, alerta que o pagamento é realizado por meio de Darf, e nunca por depósito ou transferência, principalmente quando o destinatário for uma pessoa física, a não ser que seja o leiloeiro oficial.

Para se prevenir do golpe, algumas medidas são necessárias. Primeiro, não se deixe levar por anúncios com preços mirabolantes em redes sociais. Cheque se os dados do veículo são reais, como placa e RENAVAM, e se não é fruto de roubo. Se possível, conheça o automóvel presencialmente antes de arrematá-lo. E, preferencialmente, leia os editais dos pregões para se garantir sobre a procedência do veículo.

Os pregões são seguros, desde que observadas essas medidas. A Junta Comercial de São Paulo disponibiliza em seu site uma lista de leilões confiáveis, bem como a Aleosp, sejam eles de leilão online ou presencial. Na dúvida, não se cadastre em nenhum site suspeito, pois assim estará resguardando seus dados. Há muitos bons negócios no mundo dos leilões, e é importante ter consciência e sabedoria para não cair no golpe, bem como para denunciar sites suspeitos, para que mais pessoas não sejam prejudicadas.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix