Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 06 de Julho de 2022 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Domingo, 27 de Fevereiro de 2022, 12h:23
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Anywhere office: saiba como é possível sair do país e continuar trabalhando para a mesma empresa

Por Amanda Mathias

Da coluna Viagens
Artigo de responsabilidade do autor

Com tendências de trabalho cada vez mais remotas, já é possível morar em outro país sem perder seu emprego no Brasil

iStock

ColunaViagens

A pandemia não só introduziu muitas empresas ao regime de trabalho em home office como também foi além. Conforme os empregadores foram se adaptando a essa nova realidade, onde o escritório presencial já não se faz tão importante, outras formas de se trabalhar em casa também foram surgindo, inclusive o que seria inimaginável até pouco tempo atrás: se mudar para outro país e continuar trabalhando na mesma empresa.


Esse é o chamado anywhere office, um conceito que classifica o trabalho remoto “em qualquer lugar”, como o nome já diz. Apesar de ser possível, essa é uma alternativa que ainda gera muitas dúvidas e incertezas, já que cada país possui suas próprias leis trabalhistas e outras questões que podem entrar em conflito com as políticas do empregador atual. Porém a boa notícia é que a legislação brasileira não coloca nenhum impedimento em trabalhar remotamente de outro país, então legalmente é permitido.


A parte mais burocrática de um anywhere office fica a cargo da empresa, já que provavelmente isso exigirá algumas mudanças contratuais e ajustes no salário e nos benefícios. É importante ter em mente que morar em outro país também significa lidar com outra moeda, que pode ou não ser mais valorizada que o real, então o mais sensato seria receber o pagamento já na moeda local ou pedir um aumento para garantir um salário mais compatível com a cotação. O empregador não pode reduzir o pagamento do funcionário, então ao menos não existe o risco de ganhar menos.


Nenhuma empresa tem obrigação de concordar com os termos do funcionário, então acaba sendo uma negociação entre ambas as partes. Existem várias formas de se receber salários no exterior, como através de uma remessa online, por exemplo, então o problema não é com respeito aos pagamentos, e sim em como ficará o novo contrato. O maior desafio é que não existe nenhuma regra na legislação brasileira que garanta alguma segurança para o funcionário; a lei do expatriado (nº 7.064/82) só se aplica quando é a empresa que propõe a mudança ao trabalhador, então o contrário acaba sendo uma grande aposta.


Caso tudo corra bem, será preciso organizar uma rotina de acordo com o fuso horário local para trabalhar no horário comercial do Brasil, caso a empresa requisite, então trabalhar em horários inusitados faz parte do dia a dia de quem pratica o anywhere office. Além disso, só será necessário se adaptar bem à nova vida fora do país.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix