Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 21 de Outubro de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quinta-Feira, 01 de Outubro de 2020, 15h:28
Tamanho do texto A - A+

Hospital Alfredo Abrão realizou abertura simbólica do Outubro Rosa

Neste ano a campanha de prevenção será apenas online

Laryssa Maier
Capital News

Divulgação/ Assessoria

Este ano sem a campanha de exames devido a Pandemia

Este ano sem a campanha de exames devido a Pandemia

Nesta quinta-feira (1) o Hospital de Câncer Alfredo Abrão e a Rede Feminina de Combate ao Câncer, realizaram a abertura simbólica do Outubro Rosa com a presença de autoridades e tomando todos os cuidados preventivos à Covid-10.

 

Neste ano a campanha de prevenção ao Câncer de Mama será apenas online, não haverá exames para a população por conta da pandemia, mas o  HCAA continua fazendo as mamografias quando encaminhadas, via posto de saúde.

 

Para Amilcar Silva Junior, presidente da Fundação Carmen Prudente, mantenedora do hospital “este ano, infelizmente não teremos a campanha com exames de livre demanda para a população, precisamos respeitar as medidas de prevenção vigentes, mas estamos com atendimento normalizado via regulação tanto para exames quanto para tratamento”.

 

O “Outubro Rosa” é o mês de conscientização e prevenção ao câncer de mama. Promovida anualmente, a campanha visa compartilhar informações e promover a conscientização sobre a importância da detecção precoce da doença.

 

De acordo com assessoria, a medida visa multiplicar o acesso ao exame, dentro das recomendações preconizadas para as mulheres realizando o rastreamento para o diagnóstico precoce, aumentando as chances de cura.  

 

O movimento internacional intitulado “Outubro Rosa” nasceu nos Estados Unidos, na década de 1990, para estimular a participação da população no controle do câncer de mama.

 

O câncer de mama é uma doença resultante da multiplicação de células anormais da mama, que forma um tumor. De acordo com o INCA, o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil (depois do de pele não melanoma) respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano. Em média são realizados no HCAA cerca de 9.600 procedimentos por ano (cirurgias, quimioterapias, radioterapias, consultas, etc) no segmento. No hospital 60% das quimioterapias são para mulheres em tratamento com câncer de mama. Quando detectados no início há grandes chances de cura.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix