Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 02 de Dezembro de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Sábado, 05 de Setembro de 2020, 13h:31
Tamanho do texto A - A+

NGs de proteção animal arrecadam rações

Algumas lojas dos Comper se uniram e doaram 300 kg de rações

Laryssa Maier
Capital News

Roberto Higa

Roberto Higa

..

No mês de agosto foram arrecadados 300 quilos de rações para cães e gatos nas lojas do Comper, na ação pet também foram arrecadados 22 quilos de areia para felinos, 60 pacotes de petiscos bifinhos, 72 brinquedos e 60 litros de desifentante, cloro e água sanitária, depositados em espaços personalizados. Hiper Center Jardim dos Estados, Brilhante, Euler de Azevedo, Spipe Calarge, Ypê Center e Tamandaré, respectivamente pelas ONGs Abrigo dos Bichos, Pedacinho do Céu, Fiel Amigo, Guarda Animal, Mapan CG e Vira-Latas.  

 

Segundo Fernanda Bardauil, gerente de relacionamento do Comper, “por conta da pandemia, as doações de rações caíram mais de 80% em diversas ONGs e por isso, muitas enfrentam dificuldades. Equipes de SAC [Serviço de Atendimento ao Cliente] dessas lojas falavam sobre a ação por microfone, incentivando dos clientes a doarem”. “Essa arrecadação de rações e produtos para os pets mobilizou diversas pessoas e mostra que ações para ajudar essas entidades que prestam um trabalho de amor aos animais são muito importantes e precisas”, observa Fernanda.

 

De acordo com o publicitário Diogo Zampieri, diretor de comunicação da ONG Abrigo dos Bichos, criada em 2001, e que contou com um espaço no Hiper Center Jardim dos Estados, “há 19 anos a ONG está na ativa, desenvolvendo ações que vão desde o resgate e tratamento desses animais até a conscientização por meio de palestras em escolas, fomentando a causa animal”. Além disso, segundo Diogo, o Abrigo dos Bichos busca mudanças e até mesmo elaboração de leis que protejam os animais e que lhes tragam benefícios.

 

Para Andréia Ost, diretora financeira do Abrigo dos Bichos, a ação pet ajudou diversos animais, entre eles o Zezinho, gatinho resgatado com um mês de vida após ser atropelado. Ele deu entrada na clínica em 23 de abril sem conseguir andar e nem fazer as necessidades sozinho; precisava de massagem para evacuar. “Foi feito raio x e descobrimos compressão da medula, mas o cirurgião recomendou não operar por conta de ele ser novinho demais, então o felino passou a fazer sessões de acupuntura e fisioterapia, que ainda são realizadas. Hoje ele tem mais de quatro meses e já consegue evacuar sozinho, tendo recuperado alguns movimentos”.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix