Campo Grande/MS, Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Economia
Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 18h:53
Tamanho do texto A - A+

Aumento de crédito no FCO movimenta economia de MS

O benefício é utilizado para microempresa financiar capital de giro

Laryssa Maier
Capital News

Marcelo Armôa – Assessoria de Comunicação da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro)

Aumento de crédito no FCOde giro movimenta economia de MS

De acordo com o secretário Jaime Verruck, “é uma possibilidade de recurso para o comércio ampliar estoque e efetuar o pagamento do décimo terceiro

Em Mato Grosso do Sul micro, pequenas e médias empresas agora têm novos limites de crédito para capital de giro por meio do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste), possibilitando incrementar as vendas no fim de ano, fazer investimentos e quitar despesas com folha de pagamento.

 

O FCO Empresarial ainda dispõe de R$ 200 milhões para serem utilizados no exercício de 2019. A partir de agora, o limite máximo de crédito para o empreendedor individual sobe de R$ 20 mil para R$ 27 mil. Desse limite, o empreendedor individual pode solicitar até R$ 10 mil para capital de giro dissociado (recurso que pode ser utilizado para investir em estoque e despesas com folha de pagamento). Antes, o valor máximo para capital de giro dissociado era de R$ 7 mil. Segundo assessoria o mesmo ocorre com as microempresas, que a partir de agora podem financiar até R$ 200 mil para capital de giro dissociado. O valor máximo para esse segmento era de R$ 180 mil.

 

O anúncio com os novos limites de crédito do FCO, que beneficiam micro e pequenas empresas, foi feito na reunião do Conselho Deliberativo do Sebrae, realizada nesta segunda-feira (21), com a participação do secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), presidente do CEIF/FCO (Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo FCO) e também do presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae, Claudio Mendonça; o presidente da Fiems, Sérgio Longen, do presidente da Famasul, Maurício Saito e  do presidente da Faems, Alfredo Zamlutti.

 

De acordo com o secretário Jaime Verruck, “é uma possibilidade de recurso para o comércio ampliar estoque e efetuar o pagamento do décimo terceiro. Nosso foco é principalmente na micro e pequena empresa. Com o capital de giro dissociado o empresário só não pode pagar impostos, mas pode comprar novos produtos pode pagar a folha de pagamento, fazer propaganda. É uma forma de garantir um bom final de ano”.

 

O titular da Semagro acrescentou que “é importante destacar que as contratações têm de ser aprovadas até 14 de novembro. Temos uma disponibilidade de recurso, não somente para capital de giro, que é de R$ 200 milhões no Empresarial e R$ 335 milhões no Rural e são 20 dias para aplicar esse saldo. Por conta desse prazo, todos os processos que entrarem no CEIF serão aprovados ad referendum”.

 

O CEIF/FCO é o órgão colegiado de deliberação coletiva, vinculado à Semagro, responsável por gerir os recursos da linha de financiamento. O Conselho é presidido pelo secretário da Semagro e integrado por representantes das Secretarias de Infraestrutura (Seinfra), de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), dos órgãos vinculados à Semagro: Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) e Imasul (Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul); das federações de Agricultura, Indústria e Comércio; do Sebrae e da Federação de Trabalhadores Rurais (Fettar/MS).

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix