Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 18 de Agosto de 2022 |
27˚
(67) 3042-4141
Economia
Terça-Feira, 08 de Fevereiro de 2022, 08h:38
Tamanho do texto A - A+

Com Rota Bioceânica, Porto Murtinho terá investimentos de R$ 400 milhões

Segundo o Governo de MS, o recurso será empregado na construção de portos e infraestrutura

Flávio Veras
Capital News

Edemir Rodrigues/Governo de MS

Com Rota Bioceânica, Porto Murtinho terá investimentos de R$ 400 milhões

A previsão é que os investimentos gerem 450 empregos diretos e indiretos

Com a Rota Bioceânica a todo vapor, a cidade de Porto Murtinho deverá ganhar mais dois novos portos no município com investimentos que superam R$ 400 milhões. O projeto mais adiantado é da Docas Fluvial de Murtinho, que já está autorizado na Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). 

 

Segundo o Governo de Mato Grosso do Sul, o outro que está sendo viabilizado é o de Porto Saladero. Além desse projeto, outros grupos estudam empreendimentos, e já adquiriram áreas próximas ao terminal do Governo.

Deurico/Capital News

Jaime Verruck

Secretário da Semagro Jaime Verruck

 

“Os empreendimentos são de empresas com amplo conhecimento de navegação do rio Paraguai, com outros terminais portuários ao redor do Brasil e do mundo. Ou seja, tem bastante expertise de escoamento por via marítima”, salientou o secretário de Meio Ambiente, Produção, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck.

 

O investimento da Docas Fluvial de Murtinho será acima de R$ 100 milhões na construção de um terminal de granel sólido (para produtos agrícolas, fertilizantes e insumos) com capacidade de movimentar mais de 2,2 milhões de toneladas no ano.

 

A previsão é gerar 450 empregos diretos e indiretos. A empresa já possui área de cinco hectares na barranca do rio Paraguai onde vai construir as linhas de carregamento, três silos de 15 mil toneladas cada e um armazém para 35 mil toneladas de fertilizantes. 

 

O grupo já opera outros três portos (dois no Uruguai e um no Paraguai) e é dono de uma das maiores frotas de navios tanques, barcaças e empurradores em navegação na hidrovia.

 

“Estes portos vão diversificar nichos de produtos de exportação e importação. A ideia é movimentar mercadorias variadas.

 

A tendência é fazer um ou dois terminais para grãos e outros voltados para combustíveis, fertilizantes e produtos de valor agregado”, salientou o secretário.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix