Campo Grande/MS, Terça-Feira, 07 de Julho de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Economia
Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 13h:27
Tamanho do texto A - A+

MS gera 734 empregos formais de janeiro a abril

Saldo positivo é registrado em 58 dos 79 municípios

Hélder Rafael
Capital News

Marcello Casal/Agência Brasil

Foto ilustrativa de carteira de trabalho, vaga de trabalho, emprego

..

Dados do Ministério da Economia apontam que, no acumulado de janeiro a abril deste ano, Mato Grosso do Sul gerou 734 novos empregos formais. Essas vagas só não foram maiores devido a pandemia da Covid-19, que fez com que o Estado desacelerasse o ritmo de contratações em março com apenas 78 novas vagas e fechando abril com 6.992 vagas a menos.

 

De acordo com análise da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), dentre os municípios do Estado, o que mais sofreu com a pandemia foi Campo Grande com perda de 3.150 empregos formais. Outros 58 dos municípios do Estado fecharam com saldo positivo em contratações, com destaque para Naviraí (576 novos empregos), Rio Brilhante (484 novos empregos) e Sonora (467 novos empregos) no acumulado de janeiro a abril de 2020.

 

Os setores que mais sofreram com a pandemia foram Comércio (2.644 vagas a menos), Alojamento e Alimentação (1.078 vagas a menos) e Indústria de Transformação (960 vagas a menos). O único setor onde houve novas contratações em abril foi Agropecuária (250 novas vagas).

 

“Existia uma perspectiva significativa de novas contratações para os meses de abril e maio, que não se consolidou por conta da Covid. Para reduzir esse impacto, um dos focos do governo está na manutenção da atividade econômica de setores ligados ao agronegócio e às indústrias que lidam com o mercado externo, atacadistas, supermercados e serviços essenciais, que têm preservado o emprego”, afirmou o secretário Jaime Verruck, da Semagro.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix