Campo Grande/MS, Domingo, 15 de Dezembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Esporte
Segunda-Feira, 02 de Dezembro de 2019, 15h:52
Tamanho do texto A - A+

Após gestação, Camila Gebara conquista Brasileiro Sênior de Judô

Sul-mato-grossense esteve acompanhada do filho, Ali, de apenas três meses

Rogério Vidmantas
Capital News

Divulgação/CBJ

Camila Gebara

Pequeno Ali acompanhou a mãe no lugar mais alto do pódio

A sul-mato-grossense Camila Gebara Yamakawa conquistou neste domingo (1) mais um título brasileiro, o 11º da carreira. A peso pesado venceu a paulista Sibilla Faccholli por imobilização, mantendo a conquista das últimas temporadas do Campeonato Brasileiro Sênior. A medalha de ouro ganha ainda mais importância pelas circunstâncias, já que Camila defendeu seu título apenas três meses depois de dar à luz o pequeno Ali, que veio ao ginásio com a mais nova mamãe campeã do judô brasileiro. 

 

Camila, 24 anos, segue treinando em Dourados, no Clube Sakurá de Judó com o marido e técnico Jorge Yamakawa e é atleta do Exército Brasileiro. Apesar de ser considerada desde as categorias de base uma promessa do judô, esbarrou no alto nível da categoria, a mais concorrida para se conseguir uma vaga na Seleção Brasileira, com Maria Suelen Altheman, Rochele Nunes (que recentemente se naturalizou portuguesa) e Bia Souza, o que fez com que Camila tenha recebido poucas oportunidades de competir com a Seleção adulta no exterior.

 

No Campeonato Brasileiro Interestadual, a douradense foi vice em 2016, mas ficou com a medalha de ouro nos dois anos seguintes. Em dezembro do ano passado, Camila sofreu uma grave contusão no joelho, que a tiraria dos tatames por um bom tempo. A atleta, sabendo disso, aproveitou o período afastado das lutas para gestação do primeiro filho com precisão científica nos prazos. Ali, que leva o nome de um tio-bisavô que morreu na Guerra do Líbano, nasceu no dia 28 de agosto e Camila retornou aos treinos em setembro. Foram dois meses de preparação intensiva para mais um título nacional.

 

Durante a competição no litoral catarinense, Camila aproveitava os intervalos entre as lutas para cuidar do futuro judoquinha e contou com ajuda da amiga Ana Gabriele para ficar com Ali durante os embates. "Ontem [sábado] eu lutei duas vezes e, entre uma luta e outra, aproveitei para dar de mamar. Hoje [domingo] eu ia fazer só a final e, como sou do peso pesado, sei que seria a última a lutar. Então quando tava na final do 57kg, eu fiz ele mamar, mesmo estando dormindo. Achei melhor garantir, e deu certo", contou a judoca, ao site Olhar Olímpico. 

 

Na disputa do ouro com Sibilla Faccholli, Ali estava no colo da amiga nas arquibancadas, dormindo. Mas acordou para premiação e foi a estrela no colo da mamãe campeã, ocupando o lugar mais alto do pódio. 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix