CapitalNews

Domingo, 01 de Agosto de 2021, 07h:00

A aprovação do Fundo Eleitoral de 5,7 bilhões de reais é uma vergonha

Por Júlio César Cardoso*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

É vergonhoso o que fazem com o dinheiro do contribuinte! Para aprovar recursos que minimizem a fome, a miséria e o desemprego de milhões de brasileiros deserdados, essas pulhas políticas não são capazes, ou melhor, não faz parte de seus interesses.

Divulgação

Júlio César Cardoso - Artigo

Júlio César Cardoso

 

Isso prova que o país é assaltado e dilapidado no próprio Congresso Nacional por parlamentares indecorosos, escórias do poder político, que vão para o Parlamento apenas para tirar proveito da coisa pública e defender interesses solertes seus e de grupos que representam. Não estão preocupados com a situação de caixa do país. E, por não terem escrúpulo, ética e moralidade, votam a seu favor recursos públicos (dos contribuintes) para satisfazer as suas eleições ou reeleições.   

Portanto, todos aqueles que ajudaram a aprovar o Fundão Eleitoral de 5,7 bilhões de reais são políticos desprezíveis, mequetrefes, traidores do povo brasileiro e demonstram falta de dignidade de exercer republicanamente os seus mandatos em defesa dos interesses maiores da coletividade social e da nação.  

Os partidos políticos no Brasil não mais nos representam, eles não existem na acepção ética e moral. O que existe é um cipoal de siglas partidárias sem identificação ideológica de seus membros. Troca-se de partido como macaco pula de galho em galho. Por isso, a candidatura avulsa deveria ser aprovada, bem como o voto distrital puro.

Os 40 senadores e 287 deputados federais que votaram a favor do Fundo Eleitoral demonstram não ter respeito com a  situação do país, onde milhares de desempregados vivem à míngua e comendo o pão que o diabo amassou.

O dinheiro  do Fundão é um escárnio aos brasileiros mais humildes, que passam necessidades. Enquanto sobra dinheiro para a farra dos políticos, o Brasil miserável continua esquecido e sem perspectiva de dias melhores.

 

 

*Júlio César Cardoso
Servidor federal aposentado
Balneário Camboriú-SC


Fonte: CapitalNews

Visite o website: wwww.capitalnews.com.br