CapitalNews

Domingo, 31 de Julho de 2022, 08h:52

Um amor que ultrapassa laço familiar

Netos que moram com avós dividem histórias de respeito e amizade

Renata Silva
Especial para o Capital News

Eles não se conhecem, mas tem muita coisa em comum. São homens, jovens, moram em Campo Grande, mas sabe qual é a maior semelhança entre os dois: São apaixonados pelas avós. Nós vamos contar a história de amor, amizade e respeito do Morzart e do Wilson pelas avós Lourdes e Floriza.

Nesta semana foi celebrado o dia dos avós, a data é anualmente lembrada no dia 26 de julho, dia de São Joaquim e Santa Ana, os avós de Jesus. No Brasil, a data é popularmente conhecida como Dia da Avó ou Dia da Vovó. A origem é portuguesa e tem como objetivo homenagear e agradecer toda a consideração e carinho dos avós com os seus netos.

Acervo pessoal

Um amor que ultrapassa laço familiar

Wilson na sua companhia predileta

"Minha mãe chegou a chamar a polícia"

Desde os oito anos de idade o chefe de cozinha Wilson Freitas Júnior ficava na casa da avó Lourdes Freitas Benites, na época os pais estavam separando e a local era o endereço das brincadeiras e contações de histórias. Ele lembra que já chegou a fugir da casa dos pais para ir para a casa da dona Lourdes “eu peguei uma bicicleta e fui para a casa dela sem avisar meus pais. Eles ficaram doidos, minha mãe chegou a chamar a polícia”, recorda.

Assim que os pais se separaram, o pai mudou de cidade e a mãe com problemas com o alcoolismo não tinha condições de cuidar do pequeno, em vez de ir embora com o pai o ele bateu o pé para morar com a avó, e lá ficou. Wilson fala que sempre a tratou como mãe e ela como filho. “lembro-me uma vez de me perder e chorar muito. Uma mulher me perguntou se eu sabia passar o endereço da minha casa eu só lembrava o da minha vó”, detalha.

"O meu amor por ela é infinito"


Hoje Wilson está com 34 anos e a avó 92 ele detalha que é uma relação de amor, respeito e muita amizade. Ela levanta cedo, faz o café, almoço e ele cuida de tudo pra ela “o meu amor por ela é infinito, eu sei que um dia vou perdê-la e tenho muito medo”, pontua.

Acervo pessoal

Um amor que ultrapassa laço familiar

Quando criança ela me levava para todo canto hoje sou eu quem faz isso

Outro neto que coleciona histórias ao lado da avó é o Biólogo Mozart Sávio Pires Baptista, de 28 anos, o jovem escolheu a casa da dona Maria Floriza Gomes Baptista de 96 como morada. A história de ligação os dois é desde bebê, ele lembra que desde essa época o colo preferido era o da avó “eu chorava nos colos das pessoas e quando minha avó me pegava, eu não só parava de chorar como sorria”, recorda.

Acervo pessoal

Um amor que ultrapassa laço familiar

Mozart ainda bebê no colo da avó Floriza


O biólogo conta que quando nasceu dona Floriza  70 anos e ele pensava que ela não viveria muito e que em breve poderia perdê-la, com medo fazia orações pedindo para que ela pudesse viver muito. “Senhor faça que a minha avó vive muito, que viva até cem anos, porque quando ela tiver essa idade eu vou ter 30 e ai vou saber lidar com a morte dela”, detalha.

Morando desde os 7 anos com a avó o jovem tem muitas histórias e guarda muitas lembranças com dona Floriza. No bairro onde moram, Otávio Pécora, os vizinhos os conhecem e acham bonita a relação de amor dos dois, “quando criança ela me levava para todo canto hoje sou eu quem faz isso, eu a vejo como amiga e não como neto, falamos de tudo”, finaliza.

Acervo pessoal

Um amor que ultrapassa laço familiar

O colo da avó, para o cozinheiro,"lugar mais perfeito do mundo". Dona Maria e Mozart


Fonte: CapitalNews

Visite o website: wwww.capitalnews.com.br