Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 02 de Dezembro de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Nacional
Terça-Feira, 20 de Outubro de 2020, 16h:54
Tamanho do texto A - A+

Acordo com banco americano pode resultar em tecnologia 5G

Brasil assina acordo com banco americano de US$ 1 bi em investimentos

Laryssa Maier
Capital News

Marcos Corrêa/PR

Acordo com banco americano pode resultar em tecnologia 5G

O Exim e o Ministério da Economia concordam em usar o financiamento do banco americano nas áreas de telecomunicações

Nesta terça-feira (20) o Banco de Exportação e Importação dos Estados Unidos (EximBank) e o governo brasileiro assinaramum acordo para investimentos de até US$ 1 bilhão (R$ 5,6 bilhões) no Brasil.

 

O Exim e o Ministério da Economia concordam em identificar opções para usar o financiamento do banco americano nas áreas de telecomunicações (incluindo tecnologia 5G, a próxima geração de rede de internet móvel), energia (incluindo nuclear, petróleo e gás e renováveis), infraestrutura, logística, mineração e manufatura (incluindo aeronaves), de acordo com informações da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

 

Na cerimônia de assinatura do memorando, no Itamaraty, em Brasília, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Brasil está abrindo os horizontes de investimentos. “Fizemos um acordo com o Mercosul, que estava parado há oito anos, com a União Europeia, parado há 20 anos, fizemos um acordo com a Área de Livre Comércio Europeia. Começamos negociações com Japão, Coreia do Sul, Canadá e chegamos a um grande acordo com os americanos para facilitar o comércio, convergência de marcos regulatórios e anticorrupção”, disse Guedes.

 

De acordo com a Agência Brasil, ele acrescentou que o acordo com o Exim “vem no momento exato” em que os horizontes de investimentos em infraestrutura, logística, cabotagem, mineração, petróleo e gás natural estão sendo “desbloqueados”. 

 

“O Congresso está aprovando passo a passo cada uma dessas regras de modernização do marco de investimentos e estamos trabalhando com os americanos nos organismos internacionais”, ressaltou.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix