Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 26 de Agosto de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Nacional
Quarta-Feira, 03 de Julho de 2019, 09h:57
Tamanho do texto A - A+

Na Câmara, Sérgio Moro nega parcialidade e descumprimento da lei

Ministro compareceu a Casa para esclarecer denúncias do site The Intercept Brasil.

Flavia Andrade
Capital News

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Na Câmara, Sérgio Moro nega parcialidade e descumprimento da lei

Ministro compareceu a Casa para esclarecer denúncias do site The Intercept Brasil.

 

Nesta terça-feira (03), Sérgio Moro esteve presente na Câmara Federal para esclarecer as denúncias feitas pelo site The Intercept Brasil. Durante o encontro, a oposição considerou as respostas evasivas. 

 

Conforme vem declarando em todos os encontros e entrevistas, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, voltou a afirmar que não foi parcial nem infringiu nenhuma lei em sua atuação como juiz na primeira instância na Operação Lava Jato. 

 

A sabatina durou cerca de sete horas e meia em audiência conjunta de três comissões da Câmara dos Deputados: de Constituição e Justiça e de Cidadania; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Direitos Humanos e Minorias. No último dia 19 de junho, Sergio Moro havia prestado esclarecimentos no Senado em audiência que durou aproximadamente oito horas.

 

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Na Câmara, Sérgio Moro nega parcialidade e descumprimento da lei

“Não processei o site The Intercept pela divulgação das mensagens por defender a liberdade de imprensa".

De acordo com Sérgio Moro, “Como juiz na Lava Jato sempre agi com correção, com base na lei, com base na imparcialidade, decidindo os pedidos apresentados, sem qualquer desvio. As minhas decisões já foram avaliadas nas instâncias superiores”, destaca.

 

Moro alega suspeitar que, “ Na minha opinião é que alguém com muitos recursos está por trás das invasões. O que existe é uma tentativa criminosa de invalidar condenações e evitar novas investigações”, diz.

 

Ainda conforme o ministro, “não é possível recordar-se das mensagens divulgadas porque ele deletou o aplicativo Telegram em 2017. Não reconheço, mais uma vez, a autenticidade de um material que não tenho. O que se tem presente é que não tem nada ali de conteúdo ilícito [nas mensagens]”, enfatiza.

 

Segundo atual ministro da Justiça, “não processei o site The Intercept pela divulgação das mensagens por defender a liberdade de imprensa. Acho que havia interesse de pedido de busca e apreensão para que a pessoa pudesse posar como ‘mártir da imprensa’”, declarou Moro. 

 

Sérgio Moro afirmou ainda que, “Não tenho receio de que novas mensagens sejam divulgadas, pois estou tranquilo com a minha atuação como juiz. Pode ser que saia alguma coisa. Se saírem as mensagens sem adulteração, só vão revelar compromisso com a lei, imparcialidade e ética”, conclui.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix