Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 13 de Agosto de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Nacional
Quinta-Feira, 09 de Julho de 2020, 18h:46
Tamanho do texto A - A+

Universitário é picado por naja no DF

Vítima está internado na unidade de terapia intensiva

Elaine Silva
Capital News

Reprodução

Universitário é picado por naja no DF

Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul

 

O estudante de medicina veterinária Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul, 22 anos, foi picado por uma naja na última terça-feira (07) e está internado na unidade de terapia intensiva (UTI) no Hospital Maria Auxiliadora no Gama. A cobra está no Zoológico de Brasília desde que foi capturada, na noite de quarta-feira (8). A vítima acordou do coma nesta quinta-feira (09) não está intubado.

 

Pedro apresentou a necrose e as lesões no coração nesta quinta-feira (9). Segundo o site Correio Braziliense, a vítima recebeu uma dose de soro antiofídico que foi cedida pelo Instituto Butantan, em São Paulo, ainda na quarta-feira. Ele também passou por uma sessão de hemodiálise e estava respondendo bem aos tratamentos. Apesar disso, a família importou mais 10 doses de soro vindas dos Estados Unidos. As que não foram utilizadas no tratamento do rapaz, serão encaminhadas ao Butantan para estoque. 

 

Sobre a origem da cobra a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), o Batalhão da Polícia Militar Ambiental e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) investigam como o animal chegou ao Brasil. As suspeitas são de que o estudante a tenha trazido de fora ilegalmente, uma vez que não há registros da entrada da espécie no país. 

 

O amigo de Pedro que mantinha a cobra em casa já foi identificado e colaborou com a polícia para entregar o animal. O Ibama informou que emitirá multa, que pode variar de R$ 500 a R$ 5 mil, ao proprietário da residência onde estava o animal. Ao todo, 16 serpentes, estavam escondidas, cada uma em uma caixa, em uma baia de cavalo.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix