Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 16 de Setembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Domingo, 09 de Junho de 2019, 13h:15
Tamanho do texto A - A+

Colhes o que plantas

Por Wilson Aquino*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Soberba, orgulho, arrogância e prepotência, entesourados no peito do homem, os impede de exercer sabedoria a capacidade de medir, para evitar consequências negativas, seus atos e ações empregados no dia a dia. Prefere consumir e fazer absolutamente tudo aquilo que gosta ou por que os outros fazem, mesmo sabendo que são atitudes nocivas à sua saúde física, moral e/ou espiritual.

Divulgação

Wilson Aquino - Artigo

Wilson Aquino


A natureza está cheia de exemplos que poderiam nos servir perfeitamente para demostrar o que é bom e o que é ruim e de coisas óbvias como o de que um pé de manga, que sempre dará manga e nenhuma outra fruta. Assim como pés de abacaxi, apenas abacaxi e de pimenta, pimenta.

Já o homem acha que consigo será diferente, que mesmo plantando ódio, discórdia, intriga, rancor, confusão... colherá bons frutos em sua vida amorosa, pessoal, familiar, profissional. Não colherá! Sementes de frutos ruis darão frutos ruins e não tem como ser diferente.

O indivíduo que ingere bebidas alcoólicas por muito tempo e em grande quantidade, por exemplo, está plantando em seu corpo uma série de doenças causadas pelo consumo desses produtos que são comprovadamente nocivos à sua saúde física e mental.

Da mesma forma aquele que fuma uma, duas ou mais carteiras de cigarro por anos a fio. O que ele acha que acontecerá com sua saúde mais cedo ou mais tarde? Pelo visto o prazer de fumar é maior que o perigo de contrair um câncer de pulmão que poderá interromper-lhe a vida precocemente.

Todo jovem ouve constantemente a advertência de que uma noite de sono perdida, nunca se recupera e que isso repercutirá lá na frente, na fase mais adulta de sua vida. No entanto ele não quer saber. As baladas, as noitadas regadas a bebidas, drogas e outros “agentes nocivos” parecem ser as coisas que mais deseja, mesmo sabendo que podem prejudica-lo ou destruí-lo prematuramente.

Dia desses ao visitar um grande amigo no leito hospitalar, depois de submetido a uma operação que lhe custou metade do pulmão, me confidenciou que de tudo o que fez e que lhe aconteceu ao longo de seus mais de 60 anos de vida, se pudesse voltar atrás para mudar apenas uma coisa, disse o que escolheria: “teria parado de fumar”. Uma semana depois desse tardio arrependimento, faleceu.

Uma das grandes belezas da vida é a capacidade que o homem tem de retroceder de todo e qualquer caminho que estiver trilhando. Sempre pode refletir e decidir mudar. Sempre pode dizer “não” e mudar de rota, de vida.

Deus, na sua infinita sabedoria, nos ensina o tempo todo sobre “plantio”. Veja por exemplo a passagem nas Escrituras Sagradas, em Gálatas 6:7, quando Ele nos adverte: “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará”. E mais adiante nesse mesmo livro (6:9) nos ensina o caminho: “E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido”.

E tem mais: “O que semear perversidade segará males; e com a vara da sua própria indignação será extinto”. E essa é uma lei permanente nos céus e na Terra como Ele nos ensina em Gênesis 8:22: “Enquanto a terra durar, sementeira e sega, e frio e calor, e verão e inverno, e dia e noite, não cessarão”.

A grande lição que essas leis nos dão é que se gostamos e desejamos o bem, devemos praticar o bem para recebermos boas ações daqueles à nossa volta. E isso vale tanto para o indivíduo e seu corpo físico e espiritual, como também para o ser social e familiar, que precisa e lhe convém ambientes harmônicos e amorosos para viver.

 

 

*Wilson Aquino
Jornalista e Professor
wilsonaquino2012@gmail.com

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix