Campo Grande/MS, Terça-Feira, 02 de Junho de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Terça-Feira, 19 de Maio de 2020, 15h:45
Tamanho do texto A - A+

É tempo de ressignificar

Por Carolina Barboza*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

No momento atual, em que no mundo inteiro há grandes impactos na economia, na vida das pessoas, na realidade das empresas e na conduta dos órgãos públicos, é, sem dúvida, uma realidade sem precedentes. Algo nunca vivido pelas gerações atuais e, considerando o acesso à informação que temos hoje, completamente inédito na história da humanidade.

Divulgação

Carolina Barboza - Artigo

Carolina Barboza


Como não se tem experiências anteriores, levando em conta uma pandemia num mundo totalmente globalizado e tecnológico, muitos se veem perdidos. É tanta informação, tanta instabilidade e dinamismo que fica difícil se manter centrado.

Empresários, administradores e executivos são colocados numa posição de extrema pressão: é preciso cuidar da proteção de seus colaboradores, possibilitar a produção da empresa frente a todas as barreiras impostas pelo isolamento social, garantir a saúde financeira para honrar os compromissos e ainda se preocupar em como vai cuidar da comunicação da sua marca considerando sua responsabilidade social e cívica.

É tempo de Ressignificar. Este verbo nunca fez tanto sentido na vida de muitos como agora. Orgulho, ego e ganância devem ser deixados de lado. O momento é de sobrevivência, de dar sentido à vida em meio ao caos, de ter calma, de não entrar em desespero, de não meter os pés pelas mãos, de se resguardar, de manter cabeça e corpo ativos mesmo que isolados. E, no mais, de sermos muito criativos para pensar em alternativas, pensar diferente e criar novas soluções. Afinal, a vida não para, as pessoas dependem de seus empregos e os acionistas precisam que os gestores de suas empresas tomem ações para não serem derrubados.

Nosso dever em nosso micro mundo é manter a atividade o máximo possível – a economia do mundo pede isso. Se está difícil manter todo o negócio ativo, se não é possível produzir toda a demanda usual do seu produto ou serviço porque não há gente consumindo, então que tal planejar? Que tal pensar naquele produto que estava guardado na gaveta esperando ser desenvolvido? Afinal, não havia tempo para pensar nele, certo?

O mundo estava tão louco, corrido e acelerado que a realidade de muitos era fazer, produzir e trocar as rodas com o carro andando. Respira, agora dá tempo! É tempo de criar. Vamos abrir as gavetas, rever a papelada, resgatar o que é útil, o que faz sentido e tirar os projetos do papel.

Dar sentido às novas ideias e, quando a tempestade passar, coisas novas vão nascer. Convide seus colaboradores para ajudar, dar ideias e viabilizar novas frentes. São imensuráveis os benefícios de manter as pessoas ativas e o quanto fará bem para a saúde emocional delas. E, no final dessa história, você terá um portfólio muito mais rico para oferecer à sua carteira de clientes. Mantenha a serenidade e a calma para focar na criatividade, que em breve novos frutos serão colhidos.

 

 

*Carolina Barboza

Diretora de pesquisa da Associação brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA) e da Kleffman

 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix