Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 01 de Outubro de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Sábado, 07 de Dezembro de 2019, 11h:51
Tamanho do texto A - A+

Saiba como reagir a conflitos entre colaboradores na empresa

Por Alexandre Slivnik*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Em momentos de stress é muito comum que ocorram alguns conflitos. Isso acontece em família, entre amigos e também, obviamente, acontece dentro de uma empresa. Por esse motivo, é extremamente importante ter um líder que estabeleça o papel e responsabilidades de cada um no trabalho faça a intermediação de  situações com alguma facilidade e respeito com colaboradores, afinal esse é um dos principais papeis de um líder.

Divulgação

Alexandre Slivnik - Artigo

Alexandre Slivnik


Por conta disso, o especialista em gestão de pessoas e diretor da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD), Alexandre Slivnik, explica que é fundamental entender o contexto para seguir mediando o trabalho em equipe. "O chefe deve saber ouvir os dois lados  sem tomar partido, pois o senso de justiça é o que deve prevalecer. Do contrário, todos os colaboradores podem se sentir prejudicados e não confiar mais na liderança", diz.

Embates de opinião sobre o trabalho são muito importantes e contribuem com o crescimento da organização, o conflito de ideia gera novas perspectivas e faz com que toda a equipe se sinta à vontade para expressar argumentos e saia da zona de conforto. A evolução é gerada a partir da diversidade de pensamentos, então um conflito, se bem mediado e nada agressivo, pode ser muito saudável.

No entanto, o especialista ressalta que alguns assuntos não devem ser discutidos dentro do ambiente corporativo. "Temas como política e religião normalmente são assuntos que as pessoas tomam como uma ideologia e estilo de vida. Muitos dos conflitos nas organizações partem dessas questões que não devem ser incluídas no dia a dia corporativo. Discutir futebol, política, religião ou outras paixões em que não há racionalidade pode ser extremamente prejudicial", Slivnik afirma.

Colocar isso como regra pode ser essencial atualmente, pois essas discussões podem acabar minando a energia da equipe e custar muito tempo, que é algo muito precioso para todos.

Uma das dicas é fazer avaliações de comportamento periódicas, que podem ajudar a identificar os problemas antes que eles se tornem embates mais calorosos. Conflitos são naturais dentro de um time, mas é preciso dar o feedback para os colaboradores antes que uma opinião se transforme em excessos, brigas ou até mesmo que se chegue às vias de fato, que é algo mais sério e pode acarretar a demissão dessas pessoas. Alexandre explica que se é algo recorrente, foi dado o feedback necessário e acontece pela terceira vez, talvez seja sim o caso de demitir os colaboradores envolvidos.

 

 

*Alexandre Slivnik

Reconhecido oficialmente pelo governo norte americano como um profissional com habilidades extraordinárias (EB1). É autor de diversos livros, entre eles do best-seller O Poder da Atitude. É diretor executivo do IBEX – Institute for Business Excellence, sediado em Orlando / FL (EUA). É Vice-Presidente da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD) e diretor geral do Congresso Brasileiro de Treinamento e Desenvolvimento (CBTD). É membro da Society for Human Resource Management (SHRM) e da Association for Talent Development (ATD). Palestrante e profissional com 19 anos de experiência na área de RH e Treinamento. É atualmente um dos maiores especialistas em excelência em serviços no Brasil. Palestrante Internacional com experiência nos EUA, ÁFRICA e JAPÃO, tendo feito especialização na Universidade de HARVARD (Graduate School of Education - Boston/ EUA). www.slivnik.com.br

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix