Campo Grande/MS, Terça-Feira, 12 de Novembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Sexta-Feira, 08 de Novembro de 2019, 19h:15
Tamanho do texto A - A+

Tratamento de gota

Por Ana Paula Simões*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Já fui questionada várias vezes pelos meus pacientes se quem tem gota pode fazer exercício ou se o exercício de alto rendimento gera ou propicia gota. Vamos tentar falar um pouco sobre o assunto e tirar suas dúvidas ao final.

Divulgação

Ana Paula Simões - Artigo

Ana Paula Simões

 

A primeira coisa que tenho a dizer é que o exercício é uma parte importante da dieta e do tratamento da gota. O exercício, por si só, é apenas uma parte de uma série complexa de processos que afetam a gota de maneiras diferentes. 

A gota é causada pelo excesso de ácido úrico no sangue (hiperuricemia). A causa exata da hiperuricemia, por vezes não é conhecida, apesar de fatores herdados (genes) parecem desempenhar um papel na sua gênese. O ácido úrico pode formar cristais que se acumulam nas articulações. Isto faz com que a dor apareça e outros sintomas como inchaço e vermelhidão. 

Pode ser causada também por:

- Certas condições relacionadas com a dieta e o peso corporal, tais como o excesso de peso, comer uma dieta rica em carnes e frutos do mar (alimentos ricos em purinas), e beber muito álcool.
- Medicamentos que podem aumentar a concentração de ácido úrico, como o uso regular de aspirina ou niacina ou usando medicamentos que reduzem a quantidade de sal e água no corpo (diuréticos).
- Doença grave ou certas condições médicas, como a rápida perda de peso ou pressão arterial elevada.
- Cirurgia
- Nascer com uma condição rara que faz com que os níveis de ácido úrico no sangue. Pessoas com síndrome de Kelley-Seegmiller ou síndrome de Lesch-Nyhan têm uma deficiência parcial ou completa em uma enzima que ajuda a controlar os níveis de ácido úrico. 

Nesse desequilíbrio do ácido úrico no corpo, no qual o excesso de ácido úrico forma cristais nas articulações e outros tecidos corpóreos. Ao contrário da crença popular, não é um problema dietético exclusivo, embora má alimentação pode fazer a gota piorar, e, ocasionalmente, é a única fonte de excesso de ácido úrico. 

Como descobrir se você tem gota?
Há um teste importante, quando pela primeira vez diagnosticado a gota, que deve ser feito antes de iniciar o tratamento de redução das taxas de ácido úrico. Este teste envolve recolher a urina ao longo de um período de 24 horas, que é então analisada para avaliar a produção de ácido úrico. Isto diz se você é um super produtor ou sub excretor. Com esse conhecimento, a gestão conjunta do exercício e do tratamento da gota torna-se mais fácil. O exercício pode afetar a gota de maneiras diferentes, e se você não sabe o seu nível exato de ácido úrico você não será capaz de julgar os benefícios ou armadilhas de seu programa de exercícios. 

Nós sabemos que o exercício suave é bom para a gota, uma vez que melhora a mobilidade sem a complicação adicional de ácido úrico aumentado como alguns trabalhos (ref.1) demonstram no teste de ergométrico de esforço. Então, isso significa que o exercício extenuante é ruim para a gota?

Como muitos aspectos da medicina, a gestão de exercício não é sobre o bem e o mal, ou certo e errado, é uma questão de equilíbrio. Trata-se de equilibrar sua necessidade física e psicológica para o exercício contra os riscos inerentes. Sabemos que existe um risco de aumento do ácido úrico a partir de exercício extenuante. No entanto, os mesmos artigos também indicam que estes efeitos podem ser evitados.

Um estudo estatístico oferece alguns insights sobre os benefícios do exercício [2]. Nesse trabalho, homens correndo 5 milhas por dia tinham 50% menos incidência de gota do que homens menos ativos. Embora estudos estatísticos precisem de interpretação cuidadosa, este é apoiado por outros estudos específicos. Parece haver pouca dúvida de que o exercício vai beneficiar a maioria dos doentes de gota, mas é inútil em isolamento.

O nível máximo de segurança para o ácido úrico no sangue é de 5 mg/dL (0,30 mmol/L) e não 7 como mostra os exames controles da maioria dos laboratórios.  O exercício pode ajudar a conseguir isso, mas você deve fazer o tratamento de redução das taxas de ácido úrico e se necessário manter esse nível segurança. Se não o fizer, os cristais podem se depositar e causar a erosão do osso, da cartilagem e do tendão.

Próximos passos
Exercite sua mente e controle o seu ácido úrico, antes dos depósitos se acumularem e você ser privado de forma permanente do exercício físico pois além das lesões articulares a artrite causada pela gota gera deformidades progressivas que somente com cirurgia ortopédica podem ser revertidas.

 

 

*Ana Paula Simões

Professora Instrutora da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e Mestre em Medicina, Ortopedia e Traumatologia e Especialista em Medicina e Cirurgia do Pé e Tornozelo pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. É Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia; da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé, da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte; e da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. www.anapaulasimoes.com.br

 

 

Referências
1. AJP – Endo February 2002 vol. 282 no. 2 E474-E482.
2. American Journal of Clinical Nutrition, Vol. 87, No. 5, 1480-1487, May 2008.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix