Campo Grande/MS, Domingo, 23 de Fevereiro de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2020, 12h:09
Tamanho do texto A - A+

Apontado como sucessor de narcotráficante mentiu o nome

Mesmo com fiança arbitrada em R$ 80 mil autor continuará preso

Elaine Silva
Capital News

Divulgação

 Edson Barbosa Salinas

Edson Barbosa Salinas

Após o pagamento de R$ 80 mil do suposto sucessor do narcotráficante Minotauro, a Polícia Federal, em atuação conjunta com a Polícia Civil, outras forças de segurança e Autoridades Paraguaias, descobriu que Edson Barbosa Salinas, 32 anos, apresentou documentos pessoais falsos quando de sua prisão. Segundo informações, após o recebimento dos novos fatos pelo Poder Judiciário, foi decidido pela não expedição de alvará de soltura. 

 

Deste modo conforme a Polícia Federal, o documento utilizado pelo indivíduo,  foi emitido com base em certidão de nascimento com dados ideologicamente falsos lavrada em um cartório de Aral Moreira, no ano de 2014. Ressalta-se que este cartório já foi objeto de investigações da Polícia Federal em razão da lavratura de registros de forma fraudulenta, tendo sido a tabeliã responsável afastada de suas funções em 2015. 

 

Os dados constantes no documento ideologicamente falso apresentado aos policiais quando de sua prisão tem o nome diferente do verdadeiro nome do detido, além de também diferir quanto ao nome dos pais e a data de nascimento.

 

 

Restou exarada decisão determinando o pagamento de uma fiança de R$ 80 mil para conceder liberdade ao indivíduo, tendo sido o valor pago rapidamente, porém ele não será mais liberado. O caso continua em investigação, sendo que a Polícia Federal, a Polícia Civil, as forças de segurança e as Autoridades Paraguaias trabalham em conjunto na apuração.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix