Campo Grande/MS, Domingo, 09 de Agosto de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Sexta-Feira, 19 de Junho de 2020, 15h:15
Tamanho do texto A - A+

Cinco pessoas são presas por tráfico de drogas

Investigações começaram em 13 de maio deste ano

Elaine Silva
Capital News

Divulgação/PCMS

Operação resulta na prisão de cinco pessoas por tráfico de drogas

Ação aconteceu nesta sexta-feira

Operação Quebra-Frete dos policiais civis da Delegacia de Bataguassu e das Delegacias de Polícia Civil de Brasilândia, Eldorado e Itaquiraí, resultando na prisão de cinco pessoas e no cumprimento de quatro buscas domiciliares, bem como na apreensão de substância entorpecente e balança de precisão, referente a investigações de tráfico ilícito de entorpecentes e associação criminosa, nesta sexta-feira (19). 

 

A operação é resultado de investigações que se iniciaram em 13 de maio deste ano, após três pessoas serem conduzidas para a Delegacia de Bataguassu pela Polícia Militar, com a apreensão de 500 kg de maconha. Nessa oportunidade, dois dos conduzidos foram autuados em flagrante delito e o terceiro conduzido, em razão de, naquele momento, não haver indícios suficientes para autuá-lo, foi liberado, mas a Polícia Civil de Bataguassu iniciou a formal investigação.

 

Iniciada as investigações para identificação de outros envolvidos na associação criminosa, a Polícia Civil de Bataguassu então obteve êxito em elucidar indícios do envolvimento de outras pessoas, além dos dois autuados no dia 13 de maio de 2020. De acordo com a Polícia Civil, com a identificação de possíveis outros envolvidos, a Autoridade Policial representou ao Poder Judiciário pelas prisões preventivas dos suspeitos e busca domiciliar na residência de dois suspeitos, que foram cumpridas em Bataguassu, nesta sexta-feira e durante o cumprimento, a Polícia Civil nova situação de tráfico ilícito de drogas com apreensão de "maconha" e petrechos para o tráfico de drogas.

 

Durante as investigações, foi apurado que a maconha” chegava em Bataguassu pelo preço aproximado de R$ 700 o quilo, o que gera uma renda vultuosa para organizações criminosas e, consequentemente, a prática de outros inúmeros crimes graves.

 

Nome

A operação quebra frete foi assim batizada em referência ao fato de que, pelas investigações, a associação criminosa praticava tráfico fazendo um tipo de “frete” do entorpecente pelas cidades do Mato Grosso Sul e do Estado de São Paulo, com pontos de descarregamento para distribuição e a operação visou cessar a prática delitiva desta organização criminosa.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix