Campo Grande/MS, Domingo, 23 de Fevereiro de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 16h:43
Tamanho do texto A - A+

Homem é preso com arsenal em fazenda

Ação aconteceu durante diligências para recaptura dos presos foragidos do Paraguai

Elaine Silva
Capital News

 

Divulgação/Polícia Civil

Homem é preso com arsenal de armas em fazenda

Ainda na fazenda, os policiais encontraram uma camisa com vestígios de sangue

Um homem de 62 anos foi preso em flagrante pelos policiais civis da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos (Derf), da Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestros (Garras) e 1ª Delegacia de Polícia de Ponta Porã, com um arsenal em sua propriedade rural. Caso aconteceu nesta terça-feira (21). 

 

Quando os policiais civis chegaram ao local, que já contava com a presença de homens do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) e o Choque da Polícia Militar, e foram informados de que a residência havia sido invadida por um ou mais indivíduos desconhecidos e que no local teria sido encontrado vestígios de sangue.

 

Conforme a Polícia Civil durante as buscas no local, os policiais encontraram uma carabina puma, calibre 357; uma espingarda, calibre 28; um revólver, calibre 38; um revólver, calibre .32; duzentos e vinte e sete munições, sendo: cinco calibre 38; uma calibre 9mm; trinta calibre .38; vinte calibre .28; quarenta e sete calibre .32; onze calibre .357, além de outras cento e treze calibre .22.

 

O homem que acompanhou os policiais, e que posteriormente foi preso, alegou aos policiais que algumas das armas encontradas seriam de sua propriedade e outras, localizadas posteriormente em outro cômodo da residência, pertenceriam a seu patrão. Após ter recebido voz de prisão, ele foi levado para a 1ª DP de Ponta Porã e responderá Posse Irregular de Arma de Fogo de Uso Permitido.

 

Ainda na fazenda, os policiais encontraram uma camisa com vestígios de sangue em roupas e espalhados no chão dos cômodos. O suspeito não soube explicar o motivo daquele sangue espalhado pela casa, e disse acreditar que o imóvel pudesse ter sido invadido.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix