Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 08 de Julho de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Domingo, 05 de Novembro de 2017, 12h:24
Tamanho do texto A - A+

Jovem que matou advogada em acidente se entrega à polícia

João Pedro da Silva Miranda Jorge, de 23 anos, se apresentou à Delegacia de Polícia Civil do Centro

Flávio Brito
Capital News

Foto cedida via WhatsApp

Advogada morta em acidente é enterrada na Capital

..

O acadêmico de medicina João Pedro da Silva Miranda Jorge, de 23 anos, se apresentou à Delegacia de Polícia Civil do Centro de Campo Grande na tarde deste sábado (4). O rapaz é apontado como condutor do veículo que matou a bacharel em Direito Carolina Albuquerque Machado, 24 anos, e causou ferimentos no filho dela, de 4 anos, em acidente de trânsito madrugada de quinta-feira (2), na Avenida Afonso Pena.

Ele permanecerá preso, pois a Justiça decretou a prisão preventiva dele nesta sexta-feira (3).  A juíza, titular da 3ª Vara Criminal, ordenou a prisão cautelar por entender pela “gravidade concreta dos fatos, gerador de abalo à ordem pública, diante do óbito de uma jovem e das lesões sofridas por uma criança, quando o condutor apontado, segundo consta das investigações, desenvolvia alta velocidade, colocando em risco vários transeuntes os quais, inclusive, relataram conduta agressiva do condutor na direção de seu veículo, além de aparentar estar alcoolizado, ter deixado o local dos fatos sem auxiliar no socorro das vítimas.”

O Boletim de Ocorrência registrado sobre o fato diz que a bacharel em Direito dirigia o Fox e tinha como passageiro o filho de 3 anos, quando foi atingida pela caminhonete de João Pedro.

O rapaz estava acompanhado de um irmão, de 21 anos e, após a batida saiu do local a pé, deixando até o irmão para trás. João deve responder pelos crimes de homicídio culposo na direção de veículo, lesão corporal culposa na direção de veículo, além de omissão de socorro e afastar-se do local do acidente para fugir à responsabilidade criminal ou civil.

O rapaz seguia a cerca de 160 quilômetros por hora, segundo a polícia, e perícia avalia sobre a possibilidade de ele ter passado no sinal vermelho. Com a violência do impacto, o carro de Carolina foi parar a 110 metros do ponto da colisão e ficou destruído.

Carolina morreu no local. A criança quebrou a clavícula. O irmão de João sofreu ferimentos leves e foi levado para o Prontomed da Santa Casa, mas liberado em seguida.

 

 Saiba mais

  Justiça manda prender motorista de caminhonete que matou advogada
  Advogada morta em acidente é enterrada na Capital

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix