Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 19 de Outubro de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Quinta-Feira, 17 de Setembro de 2020, 14h:41
Tamanho do texto A - A+

Manter porco do mato em cativeiro leva homem para cadeia

Caso aconteceu em uma ação conjunta da Polícia Civil e a PMA

Elaine Silva
Capital News

Divulgação/PCMS

Manter porco do mato em cativeiro leva homem para cadeia

Animal teria aparecido na fazenda e autor ficou com dó de solta-lo

Setor de Investigações Gerais (SIG) da Delegacia de Polícia Civil de Ribas do Rio Pardo e a Polícia Militar Ambiental em um trabalho conjunto prenderam um homem de 36 anos, que mantinha um porco do mato em cativeiro e por posse irregular de armas de fogo e de munições de uso permitido.

 

Segundo a Polícia Civil, o gerente da fazenda confirmou que criava um porco do mato dentro do chiqueiro com porcos domesticados e que o animal apareceu na fazenda sozinho e, com dó de soltá-lo e morrer, acabou deixando que permanecesse no chiqueiro.

 

Ao ser questionado se o suspeito possuía alguma arma de fogo naquela propriedade, sendo por ele respondido que sim, mostrando prontamente uma espingarda de propriedade de seu patrão, que mora em Araçatuba/SP, juntamente com algumas munições, e, ainda, outra espingarda que estava guardada na casa onde o suspeito residia com sua esposa e filhos, além de mais munições.

 

O homem alegou que as armas eram oriundas de herança familiar e que as utilizava, às vezes, para defender a propriedade. Ao todo, foram apreendidas 02 espingardas, 05 munições de calibre .28 intactas e 01 munição do mesmo calibre deflagrada, 03 munições de calibre .36 intactas e 03 munições deflagradas, 03 munições de calibre .44 intactas e 02 deflagradas, 02 munições de calibre .38 deflagradas e 01 munição de calibre .32 intacta.

 

O suspeito e gerente da fazenda recebeu voz de prisão por praticar, em tese, os delitos de guarda ilegal de animais silvestres e posse irregular de armas de fogo e munições de uso permitido, sendo conduzido à Delegacia local para as providências cabíveis.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix