Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 14 de Outubro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Política
Sexta-Feira, 13 de Setembro de 2019, 10h:12
Tamanho do texto A - A+

Deputado oferece R$ 100 mil para informações do ataque Bolsonaro

Deputado Federal Loester Trutis, faz video em Campo Grande pedindo informações que levem ao mandante da facada em Bolsonaro

Adriana Ximenes
Capital News

Divulgação/ Facebook

Deputado oferece R$ 100 mil para informações do ataque Bolsonaro

Trutis pede que informações sejam enviadas via WhatsApp, para serem encaminhadas por ele à Polícia Federal.

Deputados Federal do Mato Grosso do Sul, Loester Trutis (PSL) está oferecendo recompensas no valor de R$ 100 mil, para colher informações que levem ao suposto mandante do atentado cometido há um ano contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL). O autor do ataque, em Juiz de Fora (MG), é Adélio Bispo de Oliveira, que, segundo a Polícia Federal, agiu sozinho. Mas essa conclusão não convence parte dos apoiadores do presidente.

 

O  autor do ataque, em Juiz de Fora (MG), é Adélio Bispo de Oliveira, que, segundo a Polícia Federal, agiu sozinho. Mas essa conclusão não convence parte dos apoiadores do presidente.

 

A ideia foi de Trutis, que publicou um vídeo nas redes sociais, dizendo que está oferecendo uma recompensa de R$ 100 mil para informações que levam ao suposto mandante do atentado contra o presidente. Na ocasião aparece ao lado do deputado, o empresário  Ciro Fidélis de Campo Grande, dono de lojas na cidade, também é assessor do parlamentar na Câmara. 

 

O valor da recompensa seria pago pelos dois. "Há questões importantes: quem paga o advogado do Adelio, que é extremamente caro? Como ele tinha dinheiro para fazer viagem ao interior e acompanhar os filhos do Bolsonaro? Como ele tinha quatro celulares no seu apartamento, e por quê? Como ele pagava cartão de crédito internacional, se não tinha trabalho?", questiona Fidélis.

 

Trutis pede que informações sejam enviadas via WhatsApp, para serem encaminhadas por ele à Polícia Federal. O deputado faz ainda um apelo para que familiares, amigos e ex-militantes do PSOL, partido ao qual Adelio pertenceu, deem informaçõe.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix