Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 14 de Novembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Política
Terça-Feira, 01 de Outubro de 2019, 14h:53
Tamanho do texto A - A+

Governador afirma que greve “é algo de cunho extremamente político”

Manifestação só prejudica os alunos, afirma Reinaldo

Laryssa Maier
Capital News

Deurico/Capital News

Após assinatura de convênio areia será retirada do lago

Governador Reinaldo Azambuja

Segundo o Governador Reinaldo Azambuja a greve dos professores estaduais, é algo político, onde prejudica os alunos, de acordo com o parlamentar, paga em dia um salário de 80% acima do piso nacional, e afirma que é o melhor salário de professores do país. 

 

De acordo com o Governador, “acho que isso é pra prejudicar o aluno. Nós deveríamos no momento ter consciência, de que tudo que foi pactuado: concurso público, concurso de administrativo, mesmo nos  momentos de estar no limite de gasto com pessoal, foi feito. Estruturação de escolas, reformas e melhorias, formação continuada, é uma enormidade de avanços”.

 

Azambuja declarou também que é preciso ter responsabilidade e que medidas serão tomadas para que se restabeleça o rito normal nas escolas estaduais. "Se você olhar a folha de pagamento do professores de Mato Grosso do Sul, o que era em 2014 e o que está hoje, você vai ver que houve um crescimento exponencial no vencimento aos professores. Eu entendo que é algo de cunho extremamente político, vem discutir militarização em escolas, que não existe aqui no estado, então é uma pauta política extremamente equivocada pro momento. Esses dirigentes deveriam ter responsabilidade de entender que têm o melhor salário do Brasil, que recebem em dia, diferente da maioria dos estados brasileiros e o grande prejudicado não é o governo, é o aluno, é o cidadão, é o pai, é a família, que vêem as aulas paralisadas por algo estritamente político", concluiu. 

 

Em Mato Grosso do Sul, uma das entidades que mobilizam o ato é a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul)..Professores de todo o Brasil, prometem estar nas ruas na quarta-feira (2) e quinta-feira (3) em protesto sobre o panorama da Educação no País. De acordo com a Fetems, a categoria foi convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) para mobilização nacional nos dias 2 e 3 de outubro com o objetivo de barrar os cortes na educação.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix