Campo Grande/MS, Terça-Feira, 02 de Março de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Política
Domingo, 17 de Janeiro de 2021, 11h:02
Tamanho do texto A - A+

MPF lança periciais sobre a realidade dos indígenas diante da pandemia

As produções periciais reunidas na coletânea foram realizadas em caráter emergencial

Laryssa Maier
Capital News

Deurico/Arquivo Capital News

Foto ilustrativa de índio, indígena, tribo, aldeia

 

A Câmara de Populações Indígenas e Comunidades Tradicionais do Ministério Público Federal (6CCR/MPF) lançou a coletânea Perícia em Antropologia no MPF: Primeiras Contribuições no Combate à Pandemia da Covid-19. 

 

A publicação é composta por 22 ensaios e uma cartilha, reunindo reflexões de peritas e peritos em Antropologia do MPF acerca dos efeitos da pandemia sobre povos indígenas, comunidades quilombolas e tradicionais. Os pareceres periciais visam subsidiar a atuação do MPF de maneira técnica e cientificamente fundamentada.

 

As produções periciais reunidas na coletânea foram realizadas em caráter emergencial no período de abril a junho de 2020, considerando as especificidades culturais, econômicas e epidemiológicas desses grupos sociais diante do risco representado pelo novo coronavírus. 

 

A publicação alerta que os grupos indígenas apresentam maior vulnerabilidade ao contágio por infecções respiratórias. As doenças do aparelho respiratório continuam sendo a principal causa de mortalidade infantil nessa população.

 

De acordo com MPF, as questões abordaram as especificidades culturais e epidemiológicas dos povos indígenas e comunidades tradicionais estudados; as medidas emergenciais para mitigar os efeitos da covid-19 nessas localidades; e a disponibilidade e possibilidade de lideranças, agentes de saúde, agentes sanitários e demais representantes desses grupos participarem da elaboração e execução dessas ações.

 

Também foram analisadas as ações e medidas tomadas por esses grupos para prevenção e enfrentamento da pandemia, bem como as medidas necessárias para o abastecimento alimentar, tendo em vista a ausência de fluxo de pessoas e a dinâmica de circulação de alimentos por parte dos grupos afetados. Buscou-se, ainda, verificar a implementação das medidas do Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo Novo Coronavírus (Covid-19) em Povos Indígenas nas áreas de distritos sanitários especiais indígenas (Dseis).

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix