Campo Grande/MS, Domingo, 09 de Agosto de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Sexta-Feira, 19 de Junho de 2020, 13h:36
Tamanho do texto A - A+

Agropecuária brasileira será um dos principais motores da retomada econômica

Declaração da ministra Tereza Cristina foi durante o lançamento do Plano Safra 2020/2021

Elaine Silva
Capital News

Divulgação/MAPA

Agropecuária brasileira será um dos principais motores da retomada econômica

Ministra e o presidente Jair Bolsonaro durante o lançamento do Plano Safra

“Esse cenário nos dá a convicção de que a agropecuária brasileira será um dos principais motores da retomada econômica após a Covid-19, que impôs uma situação dramática, nunca vista, em esfera global. Precisamos de esperança e otimismo para superarmos tudo isso e é nesse espírito que lançamos hoje o Plano Safra 2020-2021. A agropecuária é uma atividade nobre. Acredito que agora, depois de enfrentarmos essa pandemia, nós, brasileiros, saberemos valorizar mais quem está no campo e faz chegar à nossa mesa comida farta e de qualidade”, disse a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, durante o lançamento do Plano Safra 2020/2021. 

 

Conforme a ministra “mais uma vez focado nos pequenos e médios produtores, que são os que mais precisam do suporte do governo federal, o Plano Safra 2020-2021 contará com R$ 236,3 bilhões, um aumento de R$ 13,5 bilhões em relação a 2019-2020. Desse total, R$ 179,4 bilhões são para custeio e comercialização. E R$ 57 bilhões para investimentos nos diversos setores produtivos. São valores que foram corrigidos muito acima da inflação do período”.

 

A ministra explicou que o Plano Safra é focado nos pequenos e médios produtores, que são os que mais precisam do suporte do Governo Federal. Ela também observou que a agropecuária cresceu 1,9% no primeiro trimestre de 2020, enquanto outros setores sofreram retração. Além de abastecer o mercado interno, o agro exportou 17,5% a mais em relação ao mesmo período de 2019.

 

Tereza ainda relatou que 65% do crédito rural serão aplicados a taxas de juros controladas. Os pequenos produtores rurais terão R$ 33 bilhões para financiamento do Pronaf e os médios produtores rurais R$ 33,1 bilhões, por meio do Pronamp. Já os produtores da agricultura familiar, os juros serão de 2,75% e 4,0% ao ano, os menores do Plano Safra.  Como prometido, graças ao sucesso observado desde o ano passado, ampliamos para R$1,3 bilhão a subvenção ao prêmio do seguro rural, um acréscimo de 30% no valor.

 

“Destacamos ainda que o Plano Safra 2020/21 mantém recursos – R$ 500 milhões – para o também bem-sucedido programa de construção e reforma de casas rurais. Os investimentos cresceram em média 29% em inovação tecnológica, armazenagem, irrigação, agricultura e pecuária de baixa emissão de carbono. O Plano Safra fortalece ainda a pesca comercial, financiando aquisição de equipamentos e infraestrutura, o armazenamento e o transporte de pescado”, disse a ministra. 

 

Para finalizar o seu discursos Tereza falou sobre o “o esforço do governo Jair Bolsonaro para viabilizar esse Plano Safra é um reconhecimento às conquistas e ao potencial do setor que está pronto para contribuir para a retomada econômica. Destacamos as boas previsões para este ano:  um aumento da área plantada e a colheita de safra recorde de grãos, estimada em 250,5 milhões de toneladas (3,5% superior à safra anterior). É importante frisar ainda que a contratação de crédito rural na safra passada foi a maior já verificada, somando R$ 207 bilhões”. 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix