Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 02 de Abril de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Segunda-Feira, 10 de Fevereiro de 2020, 14h:11
Tamanho do texto A - A+

Mato Grosso do Sul se destaca na economia brasileira com robustez e diversificação

Produção sul-mato-grossense de celulose terá quatro fábricas

Elaine Silva
Capital News

Deurico/Capital News

Semagro estima mudanças no decreto Cota Zero até o Carnaval

Titular da Semagro Jaime Verruck

Secretário da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) Jaime Verruck, destacou que Mato Grosso do Sul, é destaque na economia brasileira pela sua robustez e diversificação. “Processar mais as matérias-primas internas para que elas possam sair semi-elaboradas ou elaboradas, como é a celulose”, explicou Verruck. 

 

Questionado sobre o fato da celulose ser considerada o principal produto do Estado, Verruck, alegou que a “capacidade de investimentos industriais, expansão agrícola, tecnologia e geração de mão-de-obra fazem de Mato Grosso do Sul um ambiente extremamente favorável a produção de celulose”. Por estes fatores as “vendas de celulose para o mercado internacional, o produto foi o primeiro colocado na balança comercial de MS”, pontuou  o secretário. 

 

Com capacidade de diversificação, levou ao MS “fechar o primeiro trimestre de 2019 como o maior exportador brasileiro em volume de celulose de fibra curta, que é produzida pelas duas plantas instaladas em Três Lagoas, no leste do Estado; Suzano e Eldorado. A produção sul-mato-grossense é exportada para 28 países, sendo o maior comprador a China. Atualmente 92% da produção das três fábricas é destinado ao mercado externo”, informou Jaime. 

 

Para que o crescimento econômico do Estado seja ainda mais consagrado no setor, as expectativas giram em torno de uma nova fábrica em Ribas do Rio  Pardo. “ A nova fábrica de celulose será instalada em Ribas do Rio Pardo, com capacidade para 2,2 milhões de toneladas. Esta será a quarta indústria do segmento no Estado.  Os números mostram que o foco necessário para o Estado está na agregação de valor para exportação. É a linha que queremos adotar.”, finaliza Verruck. 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix