Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 21 de Novembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Quinta-Feira, 17 de Outubro de 2019, 13h:57
Tamanho do texto A - A+

Ministério da Agricultura e da Justiça assinam acordo que previne à “venda casada”

Ministra Tereza Cristina e o Ministro Sérgio Moro

Laryssa Maier
Capital News

Divulgação/ Assessoria

Ministério da Agricultura e da Justiça assinam acordo que previne à “venda casada”

A iniciativa busca incentivar o produtor rural a realizar denuncias

 

Nesta quarta-feira (16) a Ministra da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina e o Ministro da Justiça, Sérgio Moro assinaram um acordo de cooperação técnica com o objetivo de prevenir a “venda casada” de crédito rural. O acordo assinado durante cerimônia realizada, na sede no MAPA tem a duração de 24 meses com possibilidades de renovação. 

 

Com o objetivo de incentivar o produtor rural a realizar denúncias visando evitar a ocorrência dessa prática ilegal nas tomadas de créditos, a fim de proteger as escolhas de compra do setor produtivo.

 

Segundo a Ministra da Agricultura a equalização de juros foi estabelecida para proporcionar condições de pagamento mais acessíveis ao produtor rural, com o objetivo de impulsionar o desenvolvimento das atividades agropecuárias do país, que com o combate irá reduzir o custo para o produtor e melhorar a competitividade, sendo uma ação que já era esperada pelo produtor rural brasileiro.

 

“Não podemos ter aqui travas que inibam o produtor rural. O agronegócio, os números estão aí para provar, é o motor da nossa economia. Com estas pequenas coisas que a gente vem fazendo nesses 10 meses de governo, facilitando, diminuindo custos, tirando esse custo embutido, é que nós vamos fazer a agropecuária brasileira cada vez mais competitiva e mais sustentável para o mundo".

 

Segundo assessoria, Tiago da Fonseca, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Sementes de Soja - ABRASS, destaca a importância do acordo e a necessidade para os produtores rurais, que haja fiscalização das instituições financeiras, e afirma que associação está apoiando a iniciativa.

 

“Os bancos utilizam dessa prática ilegal para forçar nós produtores a adquirimos produtos dos quais não necessitamos como serviços de capitalização, seguro entre outros. Então nós vemos a assinatura do termo como um importante passo ao Agro Brasileiro”, afirma.

 

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) e a União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes) assinaram como signatárias do acordo e vão disponibilizar formas dos produtores fazerem as denúncias sem serem identificados. 

 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix