Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 23 de Outubro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Sexta-Feira, 20 de Setembro de 2019, 14h:07
Tamanho do texto A - A+

Nos Emirados Árabes, Ministra busca logística para melhorar o agro brasileiro

Este é o último país da missão ao Oriente Médio

Laryssa Maier
Capital News

 

Divulgação/Mapa

Nos Emirados Árabes, ministra busca logística para  melhora o agro brasileiro

Ministra e comitiva têm encontro com diretores da Agência de Agricultura e Segurança Alimentar de Abu Dhabi

Nesta quinta-feira (19) a ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), deu início à agenda de compromissos nos Emirados Árabes, último país da missão ao Oriente Médio.

 

No país, a ministra busca atrair investimentos para obras de infraestrutura no Brasil, que vão solucionar problemas enfrentados pelo agronegócio. Segundo a assessoria, o diretor-geral da Agência de Agricultura e Segurança Alimentar de Abu Dhabi, Saeed Al Amheri, Tereza Cristina  tratou de oportunidades dentro dos projetos do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), entre eles a Ferrogrão e a Ferrovia de Integração Oeste-Leste, corredores ferroviários que serão importantes para o escoamento da produção de grãos e transporte até os portos. 

 

Brasil e os Emirados Árabes assinaram, em março, um Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos (ACFI), com o objetivo de estimular, simplificar e apoiar investimentos bilaterais. Os diretores da agência sugeriram que o Brasil envie uma lista com os projetos considerados mais exitosos. Eles demonstraram interesse também em firmar cooperações com a Embrapa, que conheceram em 2017.

 

A ministra fez um convite para que os diretores voltem ao Brasil para revisitar a Embrapa e verem a nova gestão do governo federal. "Temos pressa. O Brasil ficou muito tempo fechado. Vamos diversificar nossos produtos, agregar valor às nossas exportações, e ousar nos projetos agropecuários", disse a ministra.

 

Tereza Cristina destacou os avanços que a agricultura dos Emirados Árabes alcançou, mesmo com clima desfavorável e pouca disponibilidade de água. As técnicas usadas e os resultados, segundo a ministra, servem de estímulo para os produtores brasileiros inovarem.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix