Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 20 de Junho de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Meio Ambiente
Segunda-Feira, 10 de Junho de 2019, 13h:57
Tamanho do texto A - A+

MS quer potencializar o turismo de pesca com as belezas naturais

Cota Zero começa a valer a partir de 2020

Elaine Silva
Capital News

Divulgação/PMA

PMA prende pescadores durante fiscalização no Pantanal

Pescadores passaram por um safari em MS

“Vamos promover o Pantanal como um lugar onde se pesca e se faz safari fotográfico”, relatou o secretário-adjunto da secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Agricultura Familiar e Produção (Semagro) Ricardo Senna durante o 1º Simpósio de Pesca no Pantanal. O evento foi realizado em Corumbá. 

 

Senna reafirmou que a decisão do governador Reinaldo Azambuja de decretar a cota zero para a pesca amadora ou esportiva, nos rios das bacias do Paraguai e Paraná, a partir de janeiro de 2020, objetiva recuperar o estoque pesqueiro e fomentar a pesca esportiva, sendo o turismo de natureza também pode ganhar um forte impulso. 

 

“Temos um mercado em potencial dentro da pesca esportiva e condições de atrair os 70 mil brasileiros que vão em busca do dourado em Corrientes, na Argentina, gastando em média dois mil dólares por viagem e gerando meio bilhão de reais por ano”, citou, lembrando que hoje apenas 50 mil pescadores vem ao Estado, deixando R$ 200 milhões. “É o mesmo rio (Paraná), mas lá (Argentina), o pescador pega e solta; aqui, ainda se mata o peixe”,  finaliza Senna. 

 

Para atrair o turista brasileiro e estrangeiro para esse santuário ecológico, segundo Senna, é preciso garantir o peixe, que já não se captura como há uma década, conforme relatos de pescadores amadores e profissionais e comunidades ribeirinhas. 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix