Campo Grande/MS, Domingo, 22 de Setembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Quinta-Feira, 09 de Maio de 2019, 16h:59
Tamanho do texto A - A+

Brasil supera expectativa de exportação de frango e carne Suína em 2019

A expectativa inicial da Associação, divulgada no fim do ano passado não contava com o efeito "peste suína" de países como a China

Juliana Brum
De Três Lagoas para o Capital News

Divulgação/FIEMS

Brasil supera expectativa de exportação de frango e carne Suína em 2019

A exportação de suínos em abril já cresceu mais de 30%

A ABPA, associação que representa o setor de exportação de suínos e frango do pais anunciou na ultima quarta (8), que o Brasil exportara  neste ano um numero maior de carnes de frango e de suínos do que o estimado. A entidade também vê uma recuperação do setor em meio a menores custos com matérias-primas.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, o Brasil deverá aumentar as exportações de carne suína em mais de 20% em 2019 ante 2018, principalmente com a maior demanda da China.

Diante da queda de produção da china o presidente da ABPA escalreceu. "O fato novo foi que a China vinha em ritmo crescente, mas nunca explosivo como este ano, ela passou a ter um risco de desabastecimento", disse Turra, comentando sobre os fortes abates em função da peste no país asiático, que passam a influenciar mais os mercados na medida em que os estoques do produto diminuem.

A expectativa inicial da Associação, divulgada no fim do ano passado ainda sem contar com o efeito "peste suína", era de um aumento de até 3% nos embarques de carne suína -- o produto não está entre aqueles dos quais o Brasil é o exportador número 1, mas o país está entre os maiores fornecedores globais.

"A China passou a ter uma mudança de comportamento, buscando onde tem o produto, Estados Unidos, Europa, Brasil...", acrescentou Turra, ponderando que são necessários no mínimo oito meses para a criação de um suíno pronto para abate, um tempo que impede o atendimento imediato das necessidades chinesas.

À medida que nenhum país conseguirá atender a demanda da China, que tem abatido suas criações para controlar a doença, mortal para suínos mas inofensiva para humanos, a busca por outras carnes no gigante asiático também está crescendo, o que explica a melhora nas perspectivas de embarques de carne de frango.

Turra disse que a expectativa é de que os embarques de carne de frango do Brasil, maior exportador global da proteína, atinjam novos recordes em 2019, assim como acontecerá em suínos, com as exportações avícolas podendo crescer mais de 10%. "Vamos crescer nas exportações de aves, em números conservadores, 10%. Suínos, vamos crescer mais de 20%", declarou ele à Reuters.

Em abril, as exportações brasileiras de carne suína aumentaram 44,3% em volume ante igual período de 2018, para 58,1 mil toneladas, informou nesta quarta-feira a ABPA, enquanto no quadrimestre o setor elevou as exportações em mais de 10%, com a China e Hong Kong respondendo juntos por cerca de 45 por cento das compras.

No caso dos embarques de carne de frango in natura, segundo dados do governo, as exportações do Brasil em volume cresceram mais de 30% em abril.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix