Campo Grande/MS, Sábado, 30 de Maio de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Saúde
Terça-Feira, 12 de Maio de 2020, 15h:29
Tamanho do texto A - A+

Em tempos de pandemia, atendimento psicológico a colaboradores é essencial

HC Alfredo Abrão dispões de psicóloga para colaboradores desde fevereiro

Rogério Vidmantas
Capital News

Divulgação/HCAA

Hospital Alfredo Abrão

Atendimento psicológico aos profissionais da saúde acontecem desde fevereiro

A pandemia provocada pelo novo coronavírus atingiu diretamente profissionais da saúde e todo uma estrutura de pessoas que trabalha direta ou indiretamente em hospitais. Esses trabalhadores são essenciais no combate e tratamento da Covid-19 e, diante da pressão física e psicológica da tarefa, aflorou a necessidade de olhar para a saúde mental desses profissionais.

 

Diante dessa nova realidade, o Hospital de Câncer Alfredo Abrão oferece desde feveiro serviço de psicologia para os mais de 400 colaboradores. A responsável pelo acolhimento desses profissionais é a psicóloga Cláudia Pinho, que já realizou 390 atendimentos.

 

Segundo a psicóloga, ouvir esses profissionais é fundamental para que eles se sintam acolhidos. “O trabalho se desenvolve em todas as esferas do HCAA, esse é um olhar muito importante que a diretoria tem sobre os colaboradores e focando no cuidar daquele que cuida, o processo psicoterapêutico breve é uma modalidade de atendimento que, além de acolher, ouvir o problema desse colaborador o auxilia a pensar, refletir e rever acerca da sua problemática, tudo é feito em conjunto para ajudar da melhor forma possível para cada assistido”, explicou Pinho.

 

Vínculo

 

Segundo o Guia de Intervenção Humanitária mhGAP (GIH-mhGAP) da Organização Mundial da Saúde, os transtorno identificados com maior frequência em momentos de estresse coletivo intenso são as Reações Agudas ao Estresse e os Transtornos de Ajustamento. Na maioria dos casos, em curto prazo, é necessária uma escuta acolhedora dos sentimentos e preocupações da pessoa. 

 

As prioridades se focam em estabelecer um vínculo respeitoso de suporte, identificar necessidades urgentes, normalizar reações de estresse e luto, reforçar pensamentos de esperança para o futuro e orientar técnicas que podem reduzir o estresse, além de auxílio com questões práticas. 

 

Tanto os casos com maior impacto no funcionamento geral e maior gravidade de sintomas quanto os de evolução mais prolongada podem precisar de intervenções mais específicas voltadas ao diagnóstico e tratamento específico (transtorno depressivo, transtorno de estresse pós-traumático, entre outros).

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix