Campo Grande/MS, Domingo, 26 de Setembro de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Saúde
Quarta-Feira, 16 de Setembro de 2020, 08h:47
Tamanho do texto A - A+

Pandemia: médicos se preocupam com o surgimento de outras doenças

Os problemas de saúde vão além do vírus

Da Redação
IP

Autor: Prasesh Shiwakoti (Lomash) / Fonte: Unsplash

Pandemia: médicos se preocupam com o surgimento de outras doenças

Covid-19 não é única doença existente em 2020

O foco no Covid-19 tem preocupado a comunidade médica sobre o surgimento de novas doenças durante e após a pandemia. Ainda não é possível calcular os impactos que o isolamento social pode causar na saúde, mas existem perspectivas em relação a possíveis novos problemas.

Algo que já vem preocupando médicos do mundo todo são as doenças mentais. Ansiedade, pânico, depressão e insônia são os problemas mais comuns que já cresceram durante o período de isolamento.

Dentro desse cenário, o Brasil é o país latino-americano com a maior taxa de depressão. Cerca de 12 milhões de pessoas estão sofrendo com os impactos da quarentena. Além disso, quase 10% dos brasileiros possuem sintomas de ansiedade. Os dados divulgados são da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O isolamento social, o desemprego e a preocupação com a instabilidade financeira são as maiores causas do desenvolvimento dessas doenças. Ambas podem gerar graves impactos na saúde mental e é preciso procurar ajuda enquanto é cedo.

De qualquer modo, é possível prevenir o surgimento desses problemas com a prática de bons hábitos. Manter uma alimentação equilibrada e fazer exercício físico são essenciais para manter saúde mental e até mesmo ajuda o sistema imunológico a combater o coronavírus. Enquanto a atividade física fortalece a imunidade e o corpo, a alimentação saudável garante a ingestão de todos os nutrientes essenciais.

As doenças mentais não são a única preocupação dos médicos. O isolamento social também pode impactar na quantidade de vitamina D que nosso organismo recebe. Especialmente em locais mais frios, a falta de exposição solar pode causar deficiência desse nutriente. Essa é uma preocupação coerente, já que o sol é responsável por mais de 80% da vitamina no nosso organismo.

É importante estar atento aos sintomas, que em conjunto com outros problemas podem indicar a deficiência dessa vitamina: queda de cabelos, dor nos ossos e articulações, fadiga, sono em excesso e problemas na cicatrização são sintomas comuns. 15 minutos de exposição solar por dia são suficientes para absorção da quantidade recomendada. Aproveite a incidência até as 10 horas da manhã e após as 16 horas, esses são horários seguros para tomar sol.

Caso você esteja tendo dificuldade de se expor ao sol por conta do isolamento, é importante conversar com seu médico, em alguns casos a suplementação pode ser necessária. Dados fornecidos pelo fabricante de suplementos Sundt ressaltam que a quantidade correta de vitamina D no organismo é essencial para a saúde dos ossos, importante para o crescimento, mantém o sistema imunológico em alerta, previne doenças cardiovasculares e inclusive auxilia na prevenção da depressão.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Trinix