Campo Grande/MS, Terça-Feira, 26 de Setembro de 2017 | 10:40
27˚
(67) 3042-4141
Reportagem Especial
Sábado, 26 de Agosto de 2017, 07h:21
Tamanho do texto A - A+

Campo Grande completa 118 anos, entre as melhores capitais para se morar

Clima, gestão e economia fazem de Campo Grande uma das 100 melhores cidades brasileiras para morar

Fernanda Freitas
Capital News

Deurico/Arquivo Capital News

Parabéns, Campo Grande!

Vista de Campo Grande - MS

Uma pesquisa recente da empresa paulistana de consultoria Macroplan Prospectiva Estratégia & Gestão, elegeu quais são as 100 melhores cidades brasileiras para morar. E a Capital de Mato Grosso do Sul está em 34° no ranking. Analisando as cidades mais populosas do país – todas com mais de 266 mil habitantes –, os critérios considerados foram educação, economia, gestão, saneamento, saúde, segurança e transparência fiscal.

 

Além de aspectos sociais e econômicos que são considerados relevantes na escolha das famílias brasileiras, o que mais chama a atenção é o fato de que a maioria prima pela tranqüilidade, em seguida, pela fluidez do trânsito e também pela arquitetura.

Deurico/Arquivo Capital News

Parabéns, Campo Grande!

..

 

Campo Grande foi fundada pelo mineiro José Antônio Pereira, natural de Monte Alegre, Minas Gerais. Ele chegou com sua comitiva à cidade em 21 de junho de 1872 e se estabeleceu na confluência dos córregos Prosa e Segredo.


O prefeito Marquinho Trad, (PSD), eleito por sufrágio universal é o sexagésimo terceiro a administrar a Capital de Mato Grosso do Sul. Seu mandato teve início em 1 de janeiro de 2017.

Francisco Mestre foi o primeiro intendente do município de Campo Grande. O início do seu mandato se deu por volta de 1899 e teve fim em 1904. Nomeado interventor-geral interino até 1902, quando neste ano, é eleito intendente Bernardo Franco Baís, tendo como vice o próprio Francisco Mestre. Bernardo recusou-se tomar posse, e então, Francisco Mestre permanece no cargo.


A localidade foi elevada à condição de município em 1889, com o nome de Santo Antônio de Campo Grande e mais tarde somente Campo Grande.

De acordo com o IBGE, há duas versões sobre a origem do nome de Campo Grande. A primeira é a existência de um vasto campo na região Sudoeste do município e a segunda versão é de que José Antônio Pereira dizia para os visitantes que "O campo é grande".

A chegada dos trilhos da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil em 1914 marcou o desenvolvimento da cidade, que passou a ter ligação com Bauru (SP). Com o trem, veio a instalação do 5.° Regimento de Artilharia Montada e, sete anos mais tarde, a sede da Circunscrição Militar de Mato Grosso.

Foi em Campo Grande que foi fundada em 1934 a “Liga Sul Matogrossense”, movimento que lutou pela divisão de Mato Grosso e que reuniu mais de 13 mil assinaturas pedindo a divisão do Estado.

Arquivo Histórico de Campo Grande (ARCA)

Mato Grosso do Sul completa 38 anos de emancipação política

..

 

Os estudos para a divisão começaram em 1975, por recomendação do presidente Ernesto Geisel. A decisão sairia dois anos mais tarde e Campo Grande seria escolhida como a Capital de Mato Grosso do Sul.

Campo Grande ocupa posição privilegiada geograficamente, ou seja, está localizada no centro do Estado, equidistante de seu extremo norte, sul, leste e oeste; está também localizada sobre o divisor de águas das bacias dos rios Paraná e Paraguai, o que facilitou a construção das primeiras estradas que até aqui chegaram ou que daqui partiram. Esta posição em muito contribuiu para que se tornasse a grande encruzilhada ou polo de desenvolvimento da vasta região.

Deurico/Arquivo Capital News

Parabéns, Campo Grande!

..

   
Graça a seu solo avermelhado e seu clima tropical, a cidade é carinhosamente chamada de “Cidade Morena”. Possui uma boa estrutura, com ampla rede hoteleira, bons restaurantes com variados pratos típicos. É por Campo Grande que começa toda aventura turística dos que se propõem a conhecer o Pantanal.

Mesmo com a crise, Campo Grande continua sendo a porta de entrada para uma “vida melhor”. São pessoas da Bolívia, Mato Grosso, Paraná, o local não importa.

Quem conhece a Capital de Mato Grosso do Sul se apaixona pelo clima e principalmente pelo aconchego e oportunidades que a cidade oferece.

Deurico/Capital News

Campo Grande 117 Anos

Edivan Marques dos Santos


Edivan Marques dos Santos, 36, mora em Cuiabá, no Estado vizinho e veio conhecer Campo Grande. "Estou aqui tem uns três dias e adorei a cidade. Clima agradável e tem muita árvore, é uma cidade que com certeza deve dar gosto de morar”, comenta o pedreiro.

Deurico/Capital News

Campo Grande 117 Anos

Maria Socorro Pinheiro

 

Maria do Socorro Pinheiro, 55, que veio do interior do Estado, mora desde os 17 anos em Campo Grande. Ela e a família viram na Capital uma boa oportunidade para melhorar de vida. "Já me sinto campo-grandense e gosto muito daqui. Eu acho que ainda tem que mudar muita coisa, principalmente na área da saúde, mas esse detalhe é algo que os políticos com certeza farão pela nossa cidade”, diz.

A equipe do Capital News homenageia Campo Grande relembrando momentos contados em fotos, registrados por quem também fez e faz parte da história da cidade, o fotógrafo Roberto Higa.

Veja a seguir fotos selecionadas por Higa que contam cada uma, um momento especial dos muitos vividos pela nossa Cidade Morena.

Roberto Higa

Parabéns, Campo Grande!

André Puccinelli, Juvêncio César da Fonseca e Wilson Barbosa Martins

Para Roberto Higa, um dos momentos mais emblemáticos da história de Campo Grande, a inauguração da Cidade Universitária, em 1971, com o então Ministro da Educação Jarbas Passarinho e o ex-governador Pedro Pedrossian. Conta o fotógrafo que a vinda da universidade, que na época era estadual, foi decisiva para o desenvolvimento de Campo Grande.

Roberto Higa

Parabéns, Campo Grande!

Inauguração do Complexo Universitário em 1981. Juvêncio era o prefeito da Capital e foi sucedido por André, que até um ano antes era Deputado. Wilson Martins era o governador

O monumento construído em 1933 em homenagem ao fundador de Campo Grande José Antônio Pereira representa o ponto zero da Capital. Em 75 foi tombado como Patrimônio Histórico de Campo Grande.

Roberto Higa

Parabéns, Campo Grande!

Obelisco de Campo Grande em 1980

Roberto Higa

Parabéns, Campo Grande!

Parque dos Poderes, 1983

 Parque dos Poderes, 1983. Uma das obras mais importantes de Mato Grosso do Sul, a sede administrativa do Governo tem mata nativa preservada e abriga as secretarias estaduais. O Parque foi um marco para a história do Estado e de Campo Grande.
 

Rua 14 de Julho, em foto de 1969. Uma das ruas mais importantes vias da Capital ostentava o famoso relógio. Higa conta que “o povo era contra a derrubada do relógio, então, às cinco da manhã o prefeito colocou o relógio abaixo. Quando as pessoas acordaram e começaram a circular, ele não estava mais lá”. Hoje, uma réplica marca as horas na esquina da Afonso Pena e Calógeras, “mas não é a mesma coisa”, diz Higa.

Roberto Higa

Parabéns, Campo Grande!

Rua 14 de Julho em 1969

(Colaborou IBGE e Arquivo Capital News).

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix