Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 14 de Outubro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quarta-Feira, 05 de Junho de 2019, 08h:57
Tamanho do texto A - A+

Após acordo é inicia a construção de termelétrica na região de Ladário

Azambuja também apresentou a Evo Morales o projeto da ferrovia TransAmericana

Elaine Silva
Capital News

Divulgação/Assessoria

Azambuja alinha projeto da Ferrovia TransAmericana

Reunião aconteceu terça-feira (4) na Bolívia

“Poder fazer essa parceria na importação de uréia e do potássio é importante. O Brasil importa todo o potássio consumido de outros países e hoje podemos ter outra oportunidade que é a compra do potássio produzido na Bolívia para a produção agropecuária no Brasil. Então, mais do que a assinatura de um termo de compromisso, é firmar realmente uma integração também nas áreas cultural, turística”, afirmou Reinaldo Azambuja (PSDB) em relação ao acordo assinado em Santa Cruz de la Sierra, Bolívia. O tratado  rompe uma etapa importante para viabilizar a termelétrica na região de Ladário/Corumbá, investimento de US$ 300 milhões da Camaçari RJ Participações.

 

A produção de energia elétrica será feita com o gás natural e para isso foi assinado nesta terça-feira(04) documento em que a estatal boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos S/A (YPFB) se compromete a fornecer 1,1 milhão de metros cúbicos por dia para a Termelétrica Fronteira. “Vamos poder juntos, governo boliviano, governo de Mato Grosso do Sul, a Global e a Camaçari, gerar energia, então vocês, além de fornecer o gás, vão ser sócios de um empreendimento que vai poder gerar energia e irrigar as linhas de transmissão no Brasil”, finaliza o governador.

 

Conforme a assessoria nesse empreendimento a ser erguido entre Ladário e Corumbá, a Camaçari prevê investir US$ 300 milhões. A unidade terá capacidade instalada para produzir 266,462 megawatts de energia elétrica.

 

Outra ação que o Governo do Estado trabalha é para que a UFN3, de Três Lagoas, também passe a fazer a compra direta do gás boliviano quando entrar em atividade. A fábrica começou a ser construída em 2011 e foi paralisada em 2014. Já recebeu investimentos de R$ 4 bilhões e está com 81% da obra já executada. O consumo de gás natural estimada na unidade é de 2,2 milhões de metros cúbicos por dia.

 

Azambuja convidou as autoridades bolivianas a fazerem uma visita a Três Lagoas, para que eles possam conhecer o potencial de produção de celulose no município. Para o governador, o setor é um potencial consumidor também de gás natural da Bolívia.

 

O governador também apresentou ao presidente, o projeto da ferrovia TransAmericana, importante para melhorar a competitividade dos produtos brasileiros no mercado internacional, com a exportação via portos do Chile e Peru, com custos mais baixos.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix