Campo Grande/MS, Terça-Feira, 26 de Janeiro de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quinta-Feira, 14 de Janeiro de 2021, 12h:46
Tamanho do texto A - A+

Em MS morre criança de 8 anos por coronavírus

Resultando em 2.625 mortes pela doença desde o início da pandemia

Laryssa Maier
Capital News

De acordo com os dados do boletim epidemiológico desta quinta-feira (14), da Secretaria de Estado de Saúde, revelam o avanço expressivo do coronavírus em todo o Estado. Apenas nas últimas 24 horas, foram registrados 1.106 exames positivos, com 16 mortes sul-mato-grossenses.

 

Entre as vítimas, destaca-se a morte de uma menina, de apenas oito anos, de Ribas do Rio Pardo, que morreu no dia 12 de janeiro, ela tinha Síndrome de Down e doença neurológica crônica.

 

Divulgação/Portal do MS

Em MS morre criança de 8 anos por coronavírus

Resultando em 2.625 mortes pela doença desde o início da pandemia

Dos óbitos registrados, cinco são de Campo Grande, e os demais de Rio Brilhante, Nioaque, Batayporã, Amambai, Pedro Gomes, Douradina, Dourados, Aquidauana, Ribas do Rio Pardo, Bodoquena e Ladário, sendo uma morte em cada município.

 

Desde o início da pandemia até hoje 147.249 pessoas foram contaminadas pelo coronavírus e 2.625 mortes pela doença, segundo as informações oficiais do Governo do Estado.

 

Divulgação/Portal do MS

Em MS morre criança de 8 anos por coronavírus

Resultando em 2.625 mortes pela doença desde o início da pandemia

De acordo com a assessoria, em tratamento, 651 estão hospitalizadas nas unidades de saúde de Mato Grosso do Sul, sendo que 359 estão em leitos clínicos e 292 em leitos de UTI. Dos internados em leitos clínicos, 219 se encontram em tratamento pelo SUS, enquanto que 140 recorreram à rede privada.

Divulgação/Portal do MS

Em MS morre criança de 8 anos por coronavírus

Resultando em 2.625 mortes pela doença desde o início da pandemia

 

Já dos casos que exigem uma atenção maior diante da gravidade do quadro 209 estão internados nas UTI’s do SUS e 83 na rede privada. Por macrorregião, a situação mais alarmante em relação ao comprometimento de leitos de UTI ainda é em Campo Grande, com ocupação de 87%, em seguida Corumbá, com 75%, depois Dourados, 74% e, por último, Três Lagoas, com 68%.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix