Campo Grande/MS, Sexta-Feira, 05 de Março de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Sábado, 16 de Janeiro de 2021, 10h:42
Tamanho do texto A - A+

Ministério Público define regras duras para retorno das aulas

Reunião debateu o retorno seguro ás aulas presenciais na Capital

Flavia Andrade
Capital News

Ana Carolina Vasques/Jornalista-Assecom MPMS

Ministério Público define regras duras para retorno das aulas nas escolas de Campo Grande

Reunião debateu o retorno seguro ás aulas presenciais na Capital

 

 

Nesta sexta-feira (15), o Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul realizou reunião, através das Promotoras de Justiça Filomena Aparecida Depolito Fluminhan, Coordenadora Adjunta do GAEDS (Grupo de Atuação Especial de Defesa da Saúde), e Vera Aparecida Cardoso Bogalho Frost Vieira, Coordenadora Adjunta do GEDUC (Grupo de Atuação Especial de Educação), onde debateram com autoridades da saúde e da educação do município e com representantes de estabelecimentos de ensino da rede privada sobre o retorno presencial e híbrido das escolas particulares e públicas. 

 

O encontro visa garantir o retorno seguro às aulas presenciais da rede escolar de Campo Grande, com rigorosa observância às medidas de biossegurança necessárias, buscando preservar a saúde dos estudantes e profissionais da educação, bem como evitar um novo surto da doença, também no ambiente escolar.

 

Durante a reunião, o Secretário Municipal de Saúde, José Mauro Pinto de Castro Filho, e a Superintendente de Vigilância em Saúde, Veruska Lahdo, destacaram que os decretos municipais do ano passado continuam em vigor. Com isso, as escolas particulares poderão funcionar já no início de 2021, atendendo a capacidade presencial do ambiente: 50% berçário e ensino infantil e 30% fundamental e médio, observadas as medidas de biossegurança. Os representantes das escolas particulares de ensino solicitaram ainda uma nova reunião, a ser marcada no início de março, para discutir sobre a possibilidade do aumento do percentual de alunos presentes na rede particular.

 

Com relação à rede municipal de educação, existe um impasse quanto ao retorno presencial dos alunos das escolas da REME. Segundo a Promotora de Justiça Vera Aparecida Frost informou que, no final do ano passado, o MPMS foi comunicado pela Secretária Municipal de Educação, Elza Fernandes Ortelhado, que as aulas seriam iniciadas no sistema remoto no dia 8 de fevereiro de 2021 e, após 30 dias, as aulas passariam a funcionar no sistema híbrido, ou seja, presencial e remoto. 

 

Ainda durante o encontro, o representante da Secretaria de Educação informou que as aulas pelo sistema remoto teriam início no dia 8 de fevereiro, mas não indicou uma data para o retorno presencial. O MPMS reivindicou o retorno no sistema híbrido, a partir do dia 8 de março, como foi acordado inicialmente com a Secretária de Educação, tendo em vista que o Município de Campo Grande já possui plano de biossegurança, o qual foi publicado no Diário Oficial. 

 

Para as Coordenadoras do GEDUC e do GAEDS, Promotoras de Justiça Vera Aparecida Cardoso Bogalho Frost Vieira e Filomena Aparecida Depolito Fluminhan  : “O retorno presencial é necessário, considerando que, durante todo ano passado, já houve tempo hábil de planejamento e que, segundo o Programa Prosseguir do Governo do Estado, a educação é considerada atividade essencial, pois várias famílias da REME necessitam colocar seus filhos nas escolas e, com relação aos Ceinfis, a grande maioria dos pais e mães não tem condições de deixar seus filhos com terceiros”.

 

Para a rede estadual de ensino as aulas terão início no dia 1º de março pelo sistema híbrido - aulas presenciais e remotas, atendendo às medidas de biossegurança.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix